Prefeitura Itinerante: Cidadania marca o dia do Índio em Maués

By -

mau3

As comemorações ao Dia do Índio, foram marcadas pelas ações da Prefeitura Itinerante em Maués, no domingo (19). A nação sateré mawé reuniu-se na Comunidade Santa Maria do Manjuru, Rio Urupadi, para receber os serviços de cidadania levados através das secretarias municipais.

mau

Muito mais que celebrar o dia do Índio, a Prefeitura levou cidadania. O dia foi considerado histórico para o povo que recebeu atendimento médico, medicamentos, expedição de documentos, serviços de embelezamento, e torneio que fizeram parte da celebração. A retribuição veio com o Ritual da Tucandeira.

O prefeito Pe. Carlos Góes (PT) prestigiou o evento reafirmando seu compromisso com os indígenas. Vereadores e secretários estiveram juntos no evento. Pela primeira vez foi feita assinatura de 112 contratos de professores aprovados no processo seletivo, entre eles 52 professores indígenas graduados.

Houve também a entrega de kits e fardamentos para 1.852 alunos e professores, merenda escolar e material de limpeza para as 47 escolas indígenas.

Carlos Góes, também deu o ponta pé inicial no torneio indígena.

mau2

Para o professor indígena Inácio Cristino as comemorações demonstraram as conquistas e o respeito que o governo municipal vem direcionando ao povo satere mawé.

As ações de saúde e de expedição de documentos foram os mais procurados pelos indígenas.

“Hoje temos muitos jovens que precisam de documentos principalmente para estudar e isso facilitou para nós”, ressaltou Inácio.

O professor Joede Michiles, que assumiu a coordenação indígena da educação, considerou histórica a assinatura dos contratos dentro da área. “Significa que o governo municipal compreende e atende nossas expectativas. Isso jamais existiu. Avalio que é a oportunidade de mantermos nossa identidade”, ressaltou.

Infraestrutura

Infraestrutura para as comunidades indígenas, foi compromisso assumido pelo prefeito Pe. Carlos Góes (PT), durante a Prefeitura Itinerante realizada na Comunidade Santa Maria do Manjuru. Ele pactuou com os indígenas que até o final do governo construirá dez escolas. “Até o final do governo todas as comunidades indígenas estarão assistidas. Nossos alunos já estão sendo contemplados com fardamento, material escolar e merecem ter escolas dignas e dentro da própria realidade”, disse Góes.

Cultura

A tradição do Ritual da Tucandeira foi mantida pela nação sateré que realizou a dança durante a ação da Prefeitura Itinerante.

Uma cerimônia mística de dor e fé. Os indígenas defendem o ritual como a celebração de “cura do guerreiro”. O indígena Inácio, explica que desde os antepassados que a tucandeira simboliza a cura para os que passam pelo ritual. “Antes não tínhamos vacina e nós acreditamos que dessa forma estamos protegidos das doenças”, enfatiza.

Os jovens passam durante todo o dia em preparação. Pintando as mãos com jenipapo, acompanhando a captura das formigas até a preparação das luvas.

O rito inicia com uma reza para que o guerreiro suporte a dor e o sofrimento. Durante três horas os indígenas cantam e dançam, acreditando que dessa forma alivia a dor, eliminando as toxinas através do suor. Nesse ano a experiência foi vivida pelo fisioterapeuta Rafael e pelo autônomo Kelerson Cunha.

A dor é incomparável, mas a fé, é que mantém viva a tradição dos sateré-maué.

Mario Dantas