Prefeitura, Garantido e Caprichoso discutem realização do Festival de Parintins

By -

festival-de-parintins-reuniao-02Em reunião no final da tarde desta terça-feira, 7, o prefeito de Parintins, Alexandre da Carbrás, e os presidentes do Caprichoso, Joilto Azedo, e do Garantido, Adelson Albuquerque, discutiram a realização do evento, faltando 17 dias para o Festival Folclórico. Em meio ao compromisso em promover a festa, os bumbás e o representante do município se mostraram preocupados com a falta de respostas do Governo do Estado aos ofícios relacionados à disponibilização do Bumbódromo e quanto ao aparato de segurança pública, saúde, apoio ao CINDACTA, entre outras atribuições do Estado.  

Alexandre da Carbrás expôs o resultado positivo de sua ida a Brasília em busca de recursos para o evento. No Ministério da Justiça foi solicitado apoio da Força Nacional de Segurança; e no Ministério da Saúde foi pedido apoio no reforço de médicos. Na audiência com o ministro do turismo Henrique Eduardo Alves, Carbrás obteve resposta positiva da liberação de verba para o tradicional festival de cultura popular. “O que nos falta é saber quanto, quando e como virá este recurso. A informação é que poderá chegar por meio de agência APEX, vinculada ao Ministério de Relações Exteriores. Se vier pela Prefeitura, vamos fazer. Se vier pelo Estado, aguardaremos um posicionamento breve, pois faltam poucos dias para o evento”, ressaltou.  

festival-de-parintins-reuniao-01O prefeito disse que junto a Garantido e Caprichoso têm lutado pelo celebração folclórica conhecida no Brasil é internacionalmente, por conta de sua importância cultural, histórica e econômica. “O prejuízo de não se realizar o festival é infinitamente maior do que se fazer o evento em meio a dificuldades, e todos nós temos nos esforçado ao máximo”, enfatizou o prefeito, que volta a Manaus nesta quarta-feira, 8, em busca de diálogo com o Estado. 

Joilto Azedo, presidente do Caprichoso, argumentou que o desafio é dos maiores por conta do pouco tempo que se tem para o início da disputa entre os bumbás, que chega à sua 51º edição. Ele disse que a falta de definição causa aflição, mas o compromisso com a cultura de Parintins está movendo as agremiações e o poder público. “Nós confiamos na habilidade do prefeito para conseguir, junto ao Governo do Estado, um mínimo de infraestrutura para que possamos fazer esta festa”, pontuou.      

O presidente do Garantido, Adelson Albuquerque, ressaltou que vai ter festival sim, mesmo com as dificuldades vividas a todo momento pelos bois. Ele afirmou que a preocupação real também se volta para o que é de competência do Governo do Estado. “Se não pode arcar com nada, que transfira para a Prefeitura, que não tem tanto recurso, mas com a ajuda dos bois podemos amenizar as adversidades”, declarou.

 

Roberto Brasil