Prefeitura e artesãos afinam novo acordo para processo de realocação

By -
Essa foi uma reunião muito feliz porque foi muito sincera, destacou Artur Neto

Essa foi uma reunião muito feliz porque foi muito sincera, destacou Artur Neto

O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, voltou a se reunir, nesta segunda-feira, 17, com os artesãos da Praça Tenreiro Aranha, no Centro. O encontro teve como pauta a realocação dos trabalhadores para outros espaços da cidade em virtude das obras na praça, contemplada pelo Programa de Aceleração do Crescimento – PAC Cidades Históricas. Na reunião ficou decidido que um grupo será realocado, provisoriamente, para o calçadão do Complexo Turístico Ponta Negra, na zona Oeste, e outros permanecerão no Centro, mas em  locais ainda em análise pelos próprios vendedores, como o camelódromo da Floriano Peixoto. 

artur-neto-e-artesaos-2Participaram da reunião, realizada no Les Artistes Café Teatroos 45 artesãos permissionários e mais nove inclusos. Além deles, estiveram presentes o secretário chefe da Casa Civil, Márcio Noronha; o subsecretário do Centro Histórico, Glauco Francesco; o secretário do Trabalho, Empreendedorismo, Abastecimento, Mercados e Feiras, David Reis; o presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano, Roberto Moita, e o Procurador Geral do Município, Marcos Cavalcanti. 

artur-neto-e-artesaos-3“Essa foi uma reunião muito feliz porque foi muito sincera. Conversamos por algumas horas e decidimos, entre outros pontos, avaliar uma casa sugerida por eles para uma possível desapropriação. Além disso, os representantes dos artesãos e também os da prefeitura vão visitar amanhã (terça-feira) os possíveis locais provisórios, um deles é a Ponta Negra. Sobre o Centro, eu mesmo vou conversar com o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) para consultarmos a viabilização da instalação deles na rua José Clemente (Centro)”, destacou Arthur. 

artur-neto-e-artesaos-4De acordo com o prefeito, todas essas alternativas serão provisórias. Ele explicou que a prefeitura vai debater junto aos artesãos e demais secretários a instalação definitiva para a categoria. “Vamos chegar a um comum acordo que garanta o futuro dessas pessoas. Todos entenderam que é uma obra imprescindível para a cidade, que não pode deixar de ser feita porque vai gerar emprego, ao mesmo tempo que garante uma cara nova para cidade e atrai cada vez mais turistas para Manaus”, frisou. 

A artesã Cristina Kellies, 42, que trabalha há 12 anos na praça, escolheu ir provisoriamente para o Complexo Turístico Ponta Negra. Ela disse que já visitou o espaço e espera ser transferida para o novo local de trabalho até a próxima quarta-feira, 19. “Eu já tinha escolhido ir para lá. Agora, com o aval do prefeito, estou feliz da vida e vou poder dormir mais tranquila. Eu espero que essa mudança seja para melhor. Esse é o nosso objetivo”, destacou. 

Roberto Brasil