Prefeitura disponibiliza serviços de coleta de lixo diferenciados

By -

coleta-de-lixo-diferenciada-06Para melhorar a limpeza da cidade e alcançar maior volume de áreas, a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) mantém serviços de coleta de lixo diferenciados. Além da coleta domiciliar, novas modalidades são implantadas periodicamente. Locais como o Centro, áreas afastadas, becos e ruas de difícil acesso, feiras e comércios de rua recebem atenção especial da Prefeitura de Manaus.

No Centro, a limpeza feita pela Semulsp conta com carros adaptados para percorrer as ruas comerciais, mobilizando os lojistas, incentivando o trabalho de catadores de resíduos e sensibilizando os visitantes da área. Implantado em julho de 2014, o modelo de limpeza retira, em média, 35 toneladas por mês de resíduos que são aproveitados, em grande parte, pelos catadores. Atualmente, o novo sistema já percorre quase a totalidade da área central, cobrindo as ruas Marechal Deodoro, Guilherme Moreira, Dr. Moreira, Marcílio Dias, Avenida Sete de Setembro, Avenida Getúlio Vargas, Avenida Eduardo Ribeiro, Floriano Peixoto, Saldanha Marinho, Lobo D’Almada, Joaquim Sarmento, Rua da Instalação, Rui Barbosa, Rua Barroso e Henrique Martins.

coleta-de-lixo-diferenciada-04Já para atender os becos e ruas de difícil acesso, a Semulsp conta com a atuação de garis, que entram nos locais, recolhem o lixo doméstico dos moradores e o posicionam em local específico para a passagem dos coletores. É o caso da Rua Cruzeiro do Sul, no bairro da Compensa, zona Oeste, que abriga cerca de 20 famílias. “Os garis fazem o trabalho de ‘puxar’ o lixo com big bags e levam até os coletores. Isso ocorre pela dificuldade de acesso aos locais”, explicou o subsecretário Operacional da Semulsp, José Rebouças.

O mesmo sistema acontece em outras áreas, como o beco Boa Vista, localizado no São Raimundo, também na zona Oeste, que conta com mais de 30 famílias.

coleta-de-lixo-diferenciada-02Feiras e comércios – Para atender melhor as feiras e comércios de rua, a Semulsp criou outro modelo diferenciado, que conta com equipes da coleta seletiva da prefeitura, grupos de catadores, de conscientização e educação ambiental e a presença de um coletor, que fica no local um período maior de tempo para recolher todo o lixo. “Essa modalidade é eficiente porque, com a presença do caminhão de lixo durante boa parte do dia nos locais, os próprios comerciantes e moradores vão até o coletor e descartam seus resíduos. Após pouco tempo de adaptação, eles passam a separar o lixo e destinar os recicláveis de forma correta”, avaliou o  gerente de articulação comunitária, Adriano Rodrigues.

Esse modelo já é utilizado na Japiinlândia; na região comercial do Jorge Teixeira, conhecido como Fuxico; nas áreas comerciais do Dom Pedro e, recentemente, no Mercado Municipal Adolpho Lisboa. “No mercadão o modelo foi implantado no começo desse mês e a diferença já pode ser notada. Em vez da presença incômoda de um container cheio de lixo, os permissionários e usuários podem contar com um carro coletor, destacado para o local. Além da vantagem estética e higiênica, com a saída do container, novas vagas foram liberadas para estacionamento”, comentou o subsecretário Rebouças, ressaltando que, antes de implantar esses modelos diferenciados, equipes da Semulsp articulam com os usuários dos locais para contar com o apoio de todos. Esses modelos, juntos, atendem a mais de 800 pessoas, entre usuários e comerciantes.

coleta-de-lixo-diferenciada-01Rios – Outra modalidade diferenciada é a coleta de lixo acumulado nos rios. Por mês, são mais de 1.400 toneladas de lixo retiradas dos rios, orlas, lagos e igarapés. Para esta atividade, mais de 100 funcionários são mobilizados. Equipamentos como balsas, botes, barcos, pás carregadeiras, máquinas mecanizadas e caçambas são destacadas para realizar os trabalhos. Na orla da cidade, lanchas recolhem os resíduos das balsas fixas ao longo dos rios e de barcos que aportam em Manaus e os descarrega nas duas balsas do SOS Igarapé, operadas pela prefeitura.

O mesmo procedimento é repetido nas marinas, áreas do Tarumã e comunidades assentadas nas orlas. “Para todo tipo de região é preciso ter uma atenção específica. Se há dificuldades de acesso, a prefeitura busca um meio de entrar e realizar o serviço. A intenção é alcançar toda a população e manter a limpeza da cidade”, disse o secretário municipal de Limpeza Urbana, Paulo Farias.

Roberto Brasil