Prefeitura de Manaus lança obras de requalificação da Praça da Matriz

By -
A Matriz será devolvida às antigas formas, afirmou Artur Neto

A Matriz será devolvida às antigas formas, afirmou Artur Neto

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, lançou oficialmente, nesta quarta-feira, 1º de julho, a obra de Requalificação Urbanística da Praça da Matriz e do Relógio Municipal. As primeiras ações, como prospecção do solo e construção do canteiro de obras, já começaram. Os recursos investidos são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas 2, que destinou cerca de R$ 33,7 milhões – R$ 15 milhões já assinados – para projetos de recuperação de áreas tombadas no Centro Histórico de Manaus.
Durante o lançamento e apresentação do projeto, no Paço Municipal, o prefeito destacou que o início da revitalização  cumpre, definitivamente, uma das suas principais propostas desde o início desta administração: reerguer e trazer vida de volta o Centro Histórico da cidade.

“A Matriz será devolvida às antigas formas. Será dignificada como monumento histórico que é, sem dúvida nenhuma, um orgulho de todos aqueles que apreciam a beleza das artes. Também é uma homenagem a todos aqueles que professam a fé cristã. O trabalho de reerguer o nosso Centro Histórico significa muito para todos nós”, afirmou o prefeito.

artur-e-pca-matriz-2O projeto da Praça 15 de Novembro, mais conhecida como Praça da Matriz, recebeu, em janeiro deste ano, R$ 6.554.322,14 para obras de revitalização da área, incluindo a Restauração do Relógio Municipal. Os recursos foram disponibilizados pela Caixa Econômica Federal.

“Estamos muito felizes em poder participar dessa parceria. É o Governo Federal, através do PAC Cidades Históricas, que surge como parceiro na revitalização do Centro de Manaus. Na verdade, são recursos para ajudar Manaus a ser de novo essa potência que a gente sempre sonha, que é sempre acessível aos nossos manauaras e aos nossos visitantes”, afirmou o superintendente da Caixa Econômica no Amazonas, Carlos Alberto Bonin.

Primeira Etapa – De acordo com o subsecretário municipal de Obras, Antônio Nelson, a primeira etapa da revitalização compreende as fases de implantação de canteiro, prospecção de solos no entorno da praça e aprovação do Projeto Executivo e está prevista para durar de 30 a 60 dias.

artur-e-pca-matriz-3“É uma obra que a gente entende que tem de ser a principal obra do PAC Cidades Históricas. Esse PAC contempla dez obras com recurso federal acompanhado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Ipham) e pela Caixa Econômica. Essa primeira fase da obra já começou com a prospecção em busca do solo que vai ser implantado definitivo, que é o solo de 1930”, destacou Nelson.

O projeto oficial foi apresentado à imprensa pelo diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita. A revitalização prevê a recuperação das áreas pavimentadas com adaptação dos passeios para deficientes físicos; paisagismo; iluminação; sinalização; drenagem e mobiliário urbano.
No perímetro da Matriz está prevista, ainda, a reabertura da Avenida Eduardo Ribeiro e a requalificação do canteiro central do patrimônio.

A previsão de conclusão das obras é de oito meses, a partir de seu início. Para o pároco da Igreja da Matriz, padre Charles Cunha, a revitalização vai proporcionar o retorno dos fiéis e também de toda a família católica à Catedral Metropolitana de Manaus. “Eu acredito que o projeto contempla recuperar os traços originais da Praça da Matriz, então, é um resgate histórico. De fato, é um motivo de muita alegria para todos os manauaras poder voltar a frequentar o espaço e principalmente, poder reconhecer os traços dessa praça tão simbólica para a nossa cidade”, comentou.

artur-e-pca-matriz-4Demais projetos – Também aprovados no início deste ano, os projetos das Praça Adalberto Vale e do entorno do Mercado Adolpho Lisboa estão previstos para iniciarem no mês seguinte. Atualmente, a Praça aguarda a retirada dos permissionários do local para início das obras. Já entorno do Mercado Adolpho Lisboa teve seu edital republicado pela falta de qualidade técnica das empresas inscritas no processo.

“Temos preservando muito a qualidade das licitações para obter empresas sérias, que entrem e terminem as obras. Na primeira publicação, nenhuma empresa se qualificou para o nível de exigência que cobramos”, explicou o diretor do PAC Manaus, Antônio Nelson. De acordo com informações do diretor, o certame deve ocorrer este mês.
Outros cinco projetos contemplados pelo PAC Cidades Históricas, atualmente, aguardam a aprovação junto ao Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para, então, retornarem à comissão responsável, são eles: o prédio do antigo Corpo de Bombeiros, a Câmara Municipal de Manaus, Praça Dom Pedro II, Biblioteca Municipal Pavilhão Universal. Já o projeto do antigo Hotel Cassina, também inscrito no PAC, espera pelo documento de posse a ser emitido pelo Governo do Estado do Amazonas.

Roberto Brasil