Prefeitura de Benjamin Constant vai construir escola em comunidade indígena

Por -
O secretário Amauri Maia (boné branco) anunciou a construção de escola e outros benefícios para a comunidade indígena de São Leopoldo

Amauri Maia (boné branco) anunciou a construção de escola e outros benefícios à comunidade indígena de São Leopoldo

A Prefeitura de Benjamin Constant vai construir uma escola de alvenaria na comunidade indígena de São Leopoldo. O anúncio foi feito pelo secretário de Governo, Amauri Maia acompanhado do vereador Armando Costa (PCB) no último final de semana ao visitar a comunidade, que completou 41 anos de fundação. Segundo o secretário, a construção da escola foi uma determinação da prefeita Iracema Maia (PSD) atendendo reivindicação dos comunitários.

Com pouco mais de 900 habitantes, São Leopoldo é uma das maiores comunidades indígenas de Benjamin Constant, com um colégio eleitoral de 300 eleitores. No encontro com comunitários liderados pelo primeiro cacique Paulo Quirino Pinto, 43, o secretário informou sobre a construção da escola, por sinal a segunda a ser construída em alvenaria. A primeira construída na década de 90 foi desativada por falta de anutenção.

Na conversa com os moradores, o secretário discutiu a possibilidade de reabilitar o poço artesiano existente na comunidade. Construído no final da década de 90, o poço que servia água potável aos moradores foi abandonado na administração passada.

A comunidade indígena de São Leopoldo foi inicialmente fundada em 5 de fevereiro de 1972 às margens do Rio Solimões. Em 1982 a comunidade foi atingida por uma grande cheia, destruindo várias casas e equipamentos comunitários. Isso obrigou a comunidade a se instalar no local onde é a sede da comunidade, distante cerca de três quilômetros da margem.

Para festejar o aniversário da comunidade, lideranças locais promoveram um almoço e torneio de futebol reunindo equipes de comunidades próximas em forma de confraternização.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Roberto Brasil

Deixe uma resposta