Prefeitura abre licitação para permissionários no Complexo Turístico Ponta Negra

By -

ponta-negra-lazerA Prefeitura de Manaus, por meio do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) lança, nesta segunda-feira (11), concorrência pública para permissionários que irão explorar comercialmente seis novos pontos da segunda etapa do Complexo Turístico Ponta Negra. Os novos quiosques serão entregues prontos aos futuros permissionários, que entrarão com a operação comercial.

São cinco quiosques e uma loja de conveniência, construídos com novo padrão arquitetônico que inclui um deck com cobertura e mesas e um módulo pré-fabricado de container. Os pontos são padronizados e funcionarão em modelos tipo container, de maior durabilidade e melhor manutenção, com melhor relação custo benefício. O projeto arquitetônico é do Implurb e os seis mobiliários já estão construídos na segunda etapa.

A Comissão de Licitação do Implurb informa que o certame tem como destinatários, exclusivamente, pessoas jurídicas. A concorrência pública será do tipo maior oferta e o edital estará disponível a partir do dia 11, gratuitamente, no site do Implurb (implurb.manaus.am.gov.br). Dúvidas podem ser sanadas pelo telefone (92) 3625-4629, em horário comercial.

No dia 11 de junho acontecerá a sessão pública de recebimento e abertura das propostas, presidida pela Comissão de Licitação do Implurb, às 9h, no auditório da Prefeitura de Manaus (av. Brasil, s/n, Compensa).

O certame licitatório tem por objetivo promover a mais ampla e irrestrita concorrência entre os participantes e otimizar a distribuição dos pontos comerciais ao longo de toda a extensão do parque, no intuito de melhor atender aos frequentadores.

A variedade de negócios também marca esta licitação, que prevê lojas de temakeria, lanchonete, choperia, tacacaria, sorveteria e loja de conveniência.

Os processos licitatórios reforçam o compromisso da Prefeitura de Manaus em garantir tratamento isonômico a todos os que queiram explorar atividade comercial em espaços públicos, seguindo as regras da lei geral de licitações e da própria Constituição Federal.

Roberto Brasil