Praia da Ponta Negra recebe sinalização para indicar interdição

By -

interdicao-ponta-negra-01A Prefeitura de Manaus começou nesta quarta-feira, 28, o trabalho de orientação à população sobre a interdição da praia do Complexo Turístico Ponta Negra para banho. Neste primeiro dia de ação, equipes de órgãos municipais atuaram na sinalização e instalação de placas e estruturas de alerta.

As ações desta quarta-feira envolveram o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), que administra o complexo, a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) e a Defesa Civil.

interdicao-ponta-negra-02A sinalização inclui placas de 2 metros x 1m fixas na praia. São seis placas em vermelho, com a inscrição “Praia Interditada”, instaladas  em vários pontos do espaço para ampla visualização da população no local.

Pela manhã, a Guarda Municipal já informava aos primeiros frequentadores do espaço, praticantes de esportes, em geral, quanto à interdição, para que as pessoas não entrassem nas águas, e durante toda a tarde a Defesa Civil colocou os cerquites (redes de proteção) próximos à área de banho para impedir o acesso ao rio.

interdicao-ponta-negra-03A Prefeitura de Manaus ressalta que apenas o banho de rio está proibido, em razão de o mesmo ter atingido a cota limite de segurança, abaixo dos 17 metros, mas que as atividades esportivas e de entretenimento na areia podem ser realizadas normalmente, assim como o funcionamento de toda a parte do calçadão e demais estruturas da Ponta Negra.

Segurança – A interdição do uso da praia para o banho é resultado do Termo de Ajustamento de Consulta (TAC), assinado ainda em 2013, entre a Prefeitura de Manaus, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, que resultou na adoção das atuais normas de uso da praia perene e estabeleceu como cota de segurança aos banhistas a marca de 17 metros para o rio Negro.

interdicao-ponta-negra-04A interdição tem prazo de 45 dias e poderá ser prorrogada até que o período de chuva comece e regularize a cota de banho. Segundo a Cláusula 1 do TAC, parágrafo 3, “a interdição automática do uso da praia ocorrerá sempre que os laudos e/ou relatórios a que se referem os parágrafos anteriores comprovarem que a praia encontra-se imprópria para o uso dos banhistas”.

O diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita, explicou que todo o efetivo do Corpo de Bombeiros, PM, Guarda Municipal e demais órgãos que já atuam na Ponta Negra irão direcionar suas atividades para orientar e fiscalizar os banhistas. “É uma questão de a população entender que estamos preocupados em resguardar suas próprias vidas, que o poder público está atuando a favor da segurança”.

Histórico – A praia perene foi entregue durante a obra de requalificação da primeira etapa da Ponta Negra, no ano de 2012. Em novembro do mesmo ano, a praia foi interditada aos banhistas, por recomendação do MPE-AM e com base no laudo técnico do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que identificou a existência de depressões na área onde foi feita a praia perene, oferecendo risco aos frequentadores do local. A expectativa do órgão é de que nos primeiros dias de novembro o rio pare de secar e comece de forma lenta o processo de subida das águas.

Roberto Brasil