Praia Clube vence em Manaus pela Superliga e Sejel anuncia jogo do Vôlei Nestlé em janeiro

By -
volei-foto-aida-fernandes

Jogo entre o time do São Caetano X Praia Clube / FOTO Áida Fernandes

Diante de quase cinco mil pessoas, o Dentil/Praia Clube (MG) e São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) protagonizaram uma partida de tirar o fôlego pela Superliga Feminina de Vôlei na noite desta sexta-feira, dia 11, na Arena Amadeu Teixeira. Em quadra, o time mineiro conseguiu ser superior e venceu por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/17 e 25/18. O evento, que contou com o apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), ainda registrou o maior público da competição nacional (4.765) pela temporada.

Com o resultado esta é a terceira vitória consecutiva da equipe mineira. O São Caetano, no entanto, não conseguiu pontuar até o momento e entra para a quarta temporada da competição ainda na décima colocação. O Praia somou mais três pontos na tabela. O líder, atualmente, é o Nestlé.

“A gente conseguiu neutralizar algumas ações, chegamos um pouquinho a mais na frente, mas não conseguimos. A equipe adversária foi muito bem e venceu. A Andressa, nossa principal central, entrou, jogou e fez muita diferença. Porém a gente sentiu também, pois algumas jogadoras não vieram, como a Laisa e a Fernanda. Semana que vem vou sanar esses desfalques e esperamos melhorar”, disse o técnico do time paulista, Haírton Cabral.

Feliz com o resultado e totalmente entregue aos torcedores, a campeã olímpica Fabiana esbanjou simpatia e fez a festa dos amazonenses. “Estou super feliz, pena que não dá pra atender todo mundo. Só temos agradecer a todo mundo que viu esse espetáculo lindo. Estava muito quente, muito calor, mas todo mundo com a gente e aí fica uma coisa gostosa”, destacou.

Entre a ‘multidão’, a jogadora Walewska ressaltou a importância de democratizar as partidas pelo País. “A gente não tem essa oportunidade de estar no Norte e no Nordeste e esse contato é muito especial. Nunca tinha jogado em um lugar quente, mas foi muito especial e estamos levando os três pontos para casa”, afirmou a central do Praia.

MANAUS - AM: 11/11/2016 - JOGO ENTRE O TIME DO SÃO CAETANO X PRAIA CLUBE (AZUL), VÁLIDO PELA 3ª RODADA DA SUPER LIGA DE VÔLEI, REALIZADO NA ARENA DA AMAZÔNIA. FOTO ANTONIO LIMA/SEJEL

Mais um jogo confirmado para Manaus

Presente na partida, o titular da Sejel, Fabricio Lima, afirmou que o evento superou as expectativas e ainda anunciou que a boa impressão credenciou Manaus para receber mais um jogo da Superliga. Desta forma, além do já anunciado, entre São Caetano x Rexona, dia 3 de fevereiro, a capital amazonense também receberá o Vôlei Nestlé no início de janeiro de 2017.

“Estou muito empolgado e agradecido a população amazonense que abraçou a Superliga e veio prestigiar o jogo, além de ter dado um show em receptividade todos esses dias em que as meninas estavam aqui em Manaus. Teve gente que veio do interior e abrilhantou ainda mais a torcida. Com tudo isso, conseguimos conquistar mais um jogo para Manaus, entre São Caetano e Vôlei Nestlé, e que vai acontecer em janeiro”, anunciou o Secretário.

MANAUS - AM: 11/11/2016 - JOGO ENTRE O TIME DO SÃO CAETANO X PRAIA CLUBE (AZUL), VÁLIDO PELA 3ª RODADA DA SUPER LIGA DE VÔLEI, REALIZADO NA ARENA DA AMAZÔNIA. FOTO ANTONIO LIMA/SEJEL

De geração em geração

Pela primeira vez realizada fora do eixo Sul-Sudeste, a disputa contou com a nova e antiga geração do vôlei amazonense. Presente na arquibancada, o grupo fez festa para as jogadoras e relembrou a época em que atuava.

“No meu tempo tínhamos atletas na seleção brasileira, tivemos capitães na década de 70 e um voleibol amazonense forte. Estou acreditando que esses dias vão voltar, principalmente testemunhando um evento desta magnitude em Manaus”, disse o ex-treinador da seleção amazonense na década de 1970, Paulo Antony, 62, que foi o responsável por entregar o prêmio de melhor atleta da partida, troféu Viva Vôlei, para a ponteira Alix.

Com páginas em branco para escrever uma bela história, as meninas do projeto ‘Princesas de Volêi’ de Manacapuru – que desenvolve o voleibol com meninas de 8 a 13 anos da terra da Ciranda – estiveram pela primeira vez assistindo uma partida na Arena Amadeu Teixeira. A empolgação em ver de perto as melhores atletas do país é um incentivo para o projeto que conta com mais de 23 meninas.

“Somos um projeto social independente, que busca valorizar nossas crianças de Manacapuru. Muitas delas chegam sem ter praticado um esporte. Tenho certeza que nos próximos anos teremos grandes promessas para o voleibol do Amazonas e é uma honra estar aqui hoje. Tudo que é ensinado para elas, hoje é amplificado com esse jogo maravilhoso visto de perto”, declarou o professor e ex-atleta da seleção amazonense de vôlei, Vania Barreto.

Áida Fernandes