Policiais civis e PMs recebem treinamento sobre abordagem e negociação

By -
A capacitação objetiva aprimorar técnicas de negociação e preservar a segurança de todos os envolvidos em ocorrências policiais

A capacitação objetiva aprimorar técnicas de negociação e preservar a segurança de todos os envolvidos em ocorrências policiais

O Governo do Amazonas, por meio do curso Ronda no Bairro Nível II, oferecido pela Secretaria Executiva Adjunta do Programa Ronda no Bairro (Searb) e da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), já capacitou mais de 400 policiais civis, militares e bombeiros, no treinamento de tiro pelo método Giraldi. Nesta quinta-feira (04), mais 16 policiais passaram pela capacitação, que tem como objetivo principal aprimorar técnicas de negociação e preservar a segurança de todos os envolvidos em ocorrências policiais.

De acordo com o coordenador geral do Ronda no Bairro, delegado Luciano Tavares, o Governo do Estado vem investindo na capacitação de todo o efetivo de segurança do Estado. Já foram empregados mais de R$ 1 milhão na realização de uma série de cursos de capacitação. “Estamos sempre buscando a excelência no nosso trabalho e no serviço que oferecemos à sociedade”.

A metologia privilegia o relacionamento entre policiais e comunidade

A metologia privilegia o relacionamento entre policiais e comunidade

De acordo com o coordenador de instrução do curso, major Algenor Teixeira, o treinamento pelo método Giraldi tem como princípio fundamental o treinamento policial, com base na simulação de situações de risco, para o uso racional da arma de fogo. Os policiais são instruídos a sempre tentar a negociação com os criminosos para que eles se entreguem sem que seja preciso atirar.

“Nós estamos qualificando a tropa para que eles trabalhem com o treinamento voltado para a realidade e que possam atuar de forma segura. O método Giraldi trabalha a verbalização do policial, junto à sociedade. Então quando ele vai para uma ocorrência, ele busca verbalizar primeiro, para que o emprego da arma de fogo seja a última alternativa a ser utilizada”.

A aplicação do método cria uma mudança cultural no modo do policial resolver conflitos

A aplicação do método cria uma mudança cultural no modo do policial resolver conflitos

O coordenador ressalta que os outros métodos privilegiam apenas o uso do armamento, deixando de lado a preparação psicológica da corporação. Ele destaca que o uso dessa metodologia vai de encontro com a filosofia de trabalho do programa Ronda no Bairro, que privilegia o relacionamento entre policiais e comunidade.

Soldado da Polícia Militar há seis anos, Emerson Batalha afirma que esse tipo de treinamento é essencial para o trabalho desenvolvido por ele diariamente nas ruas. “Quando essas ocorrências mais complexas ocorrem, nós já vamos ter um controle maior de adrenalina e nesse tipo de situação é preciso ter um autocontrole. Então, as aulas práticas de simulação com vítima e refém vão nos auxiliar a termos um controle maior”.

O método – O Método Giraldi tem como princípio fundamental o treinamento policial –com base na simulação de situações de risco – para o uso racional da arma de fogo. Os policiais são instruídos a sempre tentar a negociação com os criminosos para que eles se entreguem sem que seja preciso atirar. As aulas serão ministradas pelo major da Polícia Militar, Agenor Teixeira, especialista no método e com experiência em casos de negociação com reféns.

De acordo com criador da metodologia, coronel da reserva da PM de São Paulo, Nilson Giraldi, a aplicação do método cria uma mudança cultural no modo do policial resolver conflitos, aplicando procedimentos padronizados para que ninguém saia ferido desnecessariamente de uma ocorrência. Segundo Giraldi, em São Paulo, que utiliza o método desde 1997, o número de mortes de policiais em serviço ou fora caiu de 300 para 30 por ano.

Roberto Brasil