Polícia prende homem que matou e enterrou garota de sete anos

By -
Francinaldo alegou que no dia do homicídio estava sob efeito de entorpecente

Francinaldo alegou que no dia do homicídio estava sob efeito de entorpecente

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), sob o comando dos delegados Ivo Martins e Luiz Rocha, respectivamente titular e adjunto da unidade policial, apresentou na manhã desta terça-feira, dia 14, durante coletiva de imprensa realizada no auditório da Delegacia Geral, o ajudante de pedreiro Francinaldo Marialva Pereira, 26, autor do homicídio da vizinha dele, Jhuliany Souza da Silva. A vítima tinha sete anos e estava desaparecida desde a última sexta-feira, dia 10.

O corpo de Jhuliany foi encontrado por parentes do infrator na madrugada de ontem, dia 13, enterrado no quintal da casa do ajudante de pedreiro, situada na Rua 12 do Conjunto Amazonino Mendes, bairro Novo Aleixo, zona Norte de Manaus. Eles acharam o cadáver após perceberem que o cachorro da família estava muito agitado no local.

De acordo com Ivo Martins, os policiais civis chegaram até Francinaldo após o recebimento de denúncias anônimas informando o paradeiro dele. O infrator foi interceptado por volta das 14h de ontem, dia 13, na residência de conhecidos dele, localizada na Rua Barbosa Filho, Comunidade Riacho Doce, bairro Cidade Nova, zona Norte da cidade. O ajudante de pedreiro foi preso em cumprimento a mandado de prisão, expedido ontem, pelo juiz Anésio Rocha Pinheiro, do Plantão Criminal.

delegado-ivo-martins-crime-garota-sete-anosAo longo da coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje, o delegado Ivo Martins ressaltou que Francinaldo chegou a ajudar nas buscas pela criança e participou de correntes de oração organizadas pelos familiares da vítima. Martins revelou ainda detalhes do depoimento do infrator, prestado no prédio da especializada. “Ele tentou colocar uma terceira pessoa na cena do crime, alegando que essa pessoa teria sido responsável por atrair a vítima para residência dele e violentado a menina. Afirmou que apenas enterrou a criança depois que já estava morta”, disse Martins.

O titular da DEHS explicou que no decorrer da oitiva o ajudante de pedreiro resolveu admitir a autoria do crime e confidenciou, com riqueza de detalhes, como praticou o delito. “Francinaldo confessou que chamou a vítima para ir à casa dele. Em seguida a esganou. Quando ela já estava desfalecida chegou a tocar nas partes intimas da criança, mas que não introduziu o pênis nela. Depois ele resolveu enterrá-la no quintal da casa dele. Ele alegou que no dia do homicídio estava sob efeito de entorpecente”, declarou.

delegado-ivo-luiz-rocha-garota-sete-anosConforme o delegado Luiz Rocha, o infrator irá responder por homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, fútil e impossibilidade de defesa da vítima, além de ocultação de cadáver. A autoridade policial esclareceu que irá aguardar o resultado dos laudos periciais do Instituto Médico Legal (IML) para verificar se a consumação do estupro ocorreu enquanto a vítima ainda estava viva ou morta.

“Temos motivos suficientes para indiciá-lo por esses crimes. Com relação ao estupro, iremos esperar os resultados dos exames ficarem prontos, porque as consequências jurídicas são diferentes. Ainda temos nove dias para concluir o inquérito policial, que deverá ser remetido à Justiça”, argumentou Rocha.

No início da tarde de hoje Francinaldo foi encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Roberto Brasil