Polícia prende homem que confessou ter matado e decapitado concunhada

By -
Wilson confessou ter matado a vítima e jogada cabeça dela no rio

Wilson confessou ter matado a vítima e jogado a cabeça dela no rio

A Polícia Civil do Amazonas, por meio de investigadores lotados no plantão da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), coordenados pelo delegado Ivo Martins, titular da unidade policial, prendeu no início da noite de segunda-feira, dia 13, por volta das 18h, o ajudante de pedreiro Wilson Conceição da Silva, 23, apontado como autor do homicídio e ocultação do cadáver da catadora de latinhas e concunhada dele, Rosiane Pereira da Costa.  A vítima tinha 26 anos e estava desaparecida desde o dia 27 de maio deste ano.

Durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira, dia 15, no prédio da DEHS, na zona Leste da cidade, Ivo Martins relatou que o corpo de Rosiane foi achado sem a cabeça na tarde da última segunda-feira, dia 13, por volta das 17h, em uma cova rasa, situada em um terreno privado, localizado na Avenida do Turismo, bairro Tarumã, zona Oeste da cidade. O delegado informou que o segurança do lugar encontrou o cadáver, que foi reconhecido pelo marido de Rosiane, Edney Duarte da Costa, após ele identificar as roupas da mulher.

“O corpo estava em estado avançado de putrefação. Edney suspeitava que a esposa mantinha um relacionamento extraconjugal com Wilson, que é casado com a irmã de Edney, e relatou isso aos policiais. Então a suspeita da autoria do crime recaiu sobre o infrator. O marido da vítima indicou onde Wilson morava e os investigadores seguiram para o local. Ao ser localizado, o ajudante de pedreiro não ofereceu resistência e confessou a autoria do delito”, explicou Ivo Martins.

Conforme a autoridade policial, a prisão de Wilson aconteceu no início da noite daquele mesmo dia, na casa onde ele morava, situada Rua Praia do Forte, bairro Tarumã, zona Oeste da cidade. O fato ocorreu em cumprimento a mandado de prisão, expedido pelo juiz Anésio Rocha Pinheiro, do Plantão Criminal.

“O crime foi cometido com requintes de crueldade", afirmou o delegado Ivo Martins

“O crime foi cometido com requintes de crueldade”, afirmou o delegado Ivo Martins

Ao longo da coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje o titular da DEHS forneceu detalhes do caso. “A vítima era concunhada de Wilson e eles mantinham um relacionamento extraconjugal. Dias antes do delito eles brigaram porque Rosiane teria ameaçado contar à esposa de Wilson sobre o caso amoroso. No dia do crime Wilson chamou Rosiane para ir ao matagal onde ela foi morta, com o pretexto de que alguém queria falar com ela. A vítima foi sozinha ao lugar e foi seguida por Wilson. Sem que ela percebesse, de forma sorrateira, Wilson desferiu um golpe de terçado no pescoço dela”, disse Martins.

O delegado ressaltou que durante oitiva o ajudante de pedreiro relatou que após o golpe de terçado a vítima desfaleceu e, em seguida, ele cortou a cabeça dela. “O crime foi cometido com requintes de crueldade. Wilson afirmou que cortou a cabeça de Rosiane lentamente e, com o mesmo terçado, cavou a cova onde colocou o corpo da vítima. Depois jogou a cabeça no rio, juntamente com a arma branca utilizada para cometer o delito. Apesar das diligências realizadas no lugar, ainda não conseguimos encontrar o objeto e nem a cabeça da mulher”, declarou o titular da DEHS.

Wilson foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ao término do procedimentos cabíveis, realizados na unidade policial, o ajudante de pedreiro será conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá aguardar decisão da Justiça. “O caso está devidamente solucionado e, mais uma vez, a resposta foi dada por parte da Polícia Civil à população, na elucidação de mais um crime”, finalizou Ivo Martins.

Roberto Brasil