Polícia Civil busca responsável pela morte de universitário em lan house, na Cidade Nova

By -
O jovem assassinado trabalhava no local há 7 anos

O jovem assassinado trabalhava no local há 7 anos

O delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, divulgou na manhã desta segunda-feira, dia 04, durante coletiva de imprensa na sede da especializada, imagens do homicídio do estudante universitário Lucas de Souza Magalhães, que tinha 21 anos, vítima de disparo de arma de fogo, ocorrido no dia 30 de dezembro de 2015. A divulgação tem como objetivo identificar e localizar os dois envolvidos no crime.

De acordo com a autoridade policial, o estudante foi morto com um disparo de arma de fogo na última quarta-feira, dia 30, por volta das 20h30, no interior da lan house onde trabalhava, situada na Rua Iritama, conjunto Américo Medeiros, bairro Cidade Nova, zona Norte da capital. A ação foi registrada por câmeras do circuito interno de segurança do estabelecimento.

jovem-assassinado-lan-house-2Ainda de acordo com a autoridade policial, durante os trabalhos investigativos também foram colhidas imagens de câmeras de lojas próximas a lan house que mostram o momento em que um dos autores chega na garupa de uma motocicleta Honda Bros, de cor azul, conduzida por um homem que trajava blusa de mototaxista e usava capacete.

“Após descer da motocicleta, o rapaz que estava na garupa se dirigiu ao estabelecimento e, após uma breve conversa com Lucas, sacou uma arma de fogo e atirou uma vez contra o jovem. Após o disparo, o infrator evadiu-se do local, sem levar nada, acompanhado do motociclista que o aguardava do lado de fora, em uma rua ao lado da lan house”, explicou o delegado.

jovem-assassinado-lan-house-3O estudante, segundo Martins, foi levado para o Serviço de Pronto Atendimento Galileia (SPA), mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Conforme o pai da vítima, o industriário Edson Assunção de Souza, 48, Lucas era filho único e trabalhava desde os 14 anos no local, que era próximo à residência onde morava e da qual ficou um tempo afastado. “Meu filho gritou para viver. Ele gostava de aproveitar a vida e tinha planos”, disse o pai, emocionado.

Qualquer informação que possa contribuir com o trabalho investigativo da Polícia Civil e levem à identificação e paradeiro dos infratores, pode ser repassada pelos números da DEHS: (92) 3636-2874/98116-9099, ou pelo número 181, o disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM). É assegurado o sigilo da identidade dos informantes.

Roberto Brasil