Plano de Mobilidade Urbana em debate

By -

artur-plano-de-mobilidade-4Da Redação – A partir desta quarta feira (25), a partir das 14h, serão realizadas cinco audiências públicas para debater o Plano de Mobilidade Urbana na Câmara Municipal de Manaus (CMM), localizada na Rua Padre Agostinho Caballero Martin, 850 São Raimundo, zona oeste da capital. A Comissão Especial de Análise do PlanMob-Manaus aprovou o calendário de atividades para verificação do Projeto de Lei nº 374/2015, e  estabelece  as  diretrizes para o acompanhamento  e monitoramento de sua implementação, avaliação e revisão periódica. Alguns vereadores criticam a falta de legitimidade do processo e criticam a estratégia de mobilização para garantir a participação da sociedade no debate.

“Escolhemos quatro temas principais, requalificação de calçadas para o pedestre, a cidade exige uma malha de ciclovias que ajudam na preservação do meio ambiente e na qualidade de vida, também o tema do BRT para o transporte público assim como o plano viário e hidroviário pela importância deste meio de condução. A requalificação da Marinha do Davi também é importante na relação dos municípios rurais com o urbano”, salientou o vereador Elias Emanuel (PSDB).

Ver. Elias Emanuel

Ver. Elias Emanuel

Informou ainda que panfletagem de impressos e outros canais na internet estão sendo utilizados para convocar a participação da população nas audiências públicas.

Para a vereadora Socorro Sampaio (PP), todos os temas são importantes nas Audiências Públicas, nós pagamos impostos e estaremos recebendo a toda a população com suas propostas e demandas para ter uma Manaus melhor.

Sem a participação da população será uma Lei morta

Ver. Waldemir José

Ver. Waldemir José

“Se a gente não mudar as estratégias de mobilização iremos fazer de novo uma farsa no faz de conta que estamos convidando à população eles por sua parte não viram, nem participarão neste debate, esse tipo de mobilização não da conta na nossa realidade, temos que ouvir os movimentos populares, acadêmicos, cursos de arquitetura, engenharia e muitos outros setores para juntos elaborar este plano. Hoje os problemas da sociedade não são resolvidos pela política e sim junto à população, de outra forma os resultados irão servir a interesses privados e não públicos e será uma lei morta”, explicou o vereador Waldemir José (PT).

Falta de estudo nesta legitimidade

Ver. Bibiano

Ver. Bibiano

Para o vereador Prof. Bibiano (PT), esse trabalho em tese teria que estar na fase final mas a minuta entregue pela Prefeitura de Manaus à Câmara Municipal de Manaus (CMM) resta a legitimidade ao processo de debate,  pois não traduzem a situação real do município para debater, elaborar e aprovar o Plano de Mobilidade Urbana.

Segundo o parlamentar a Prefeitura não conta com os estudos pertinentes para ter elaborado a minuta, os dados são do IBGE (2005) que estão defasados, isto é terrível, a população esta sendo enganada pois não temos a garantia de um estudo com dados oficiais e verídicos para a partir dai apresentar propostas ao plano nas audiências e aprovar o Plano.

“Primeiro teríamos que fazer um estudo junto com a sociedade organizada (Lei 12.587) que garante a sociedade a participar e construir o Plano. Agora é apenas um teatro para dizer como será a Manaus que queremos nos próximos 25 anos,  e nos próximos anos os nossos próprios filhos irão cobrar como foi elaborado o plano. O Prefeito de Manaus terá que provar com dados oficiais que estudos foram realizados para o embasamento deste plano”. salientou Bibiano. MERCEDES GUZMÁN

Roberto Brasil