Pescadores recebem orientação sobre perigos da reforma da Previdência

By -

“O Governo Federal deseja que os pescadores trabalhem mais. Somos contrários a essa medida”, declara Walzenir Falcão

Pescadores de Manaus participaram nesta sexta-feira (03) de uma reunião convocada pela Confederação Nacional dos Pescadores (CNPA) para discutir a reforma da Previdência Social do Brasil.

A reunião aconteceu no bairro de Educandos, em Manaus, e teve as presenças do presidente da CNPA, Walzenir Falcão, do presidente da colônia de Pescadores de Manaus (z-12), Miguel Oliveira, e do deputado Federal do Amazonas, Silas Câmara.

Walzenir Falcão disse que a reforma da Previdência, que está em tramitação no Congresso Nacional, quer obrigar os pescadores a trabalhar mais tempo para se aposentar. “Pescadores trabalham sob sol e chuva, todos os dias do ano. Mesmo assim, o Governo Federal deseja que os pescadores trabalhem mais. Somos contrários a essa medida”, declara Walzenir.

O deputado Silas Câmara disse que graças ao trabalho da CNPA e de órgãos que representam os trabalhadores rurais, foi apresentada na Câmara dos Deputados uma emenda ao projeto da reforma da Previdência.

A emenda tem o objetivo de resguardar os direitos dos pescadores e trabalhadores rurais de todo País, que permanecem com as regras atuais para se aposentar.

Walzenir Falcão acrescentou que vai unir esforços com deputados federais e senadores de várias regiões do Brasil para evitar que os pescadores tenham que trabalhar mais tempo para garantir a aposentadoria integral.

O deputado Silas Câmara disse que a reforma da Previdência corre em regime de urgência na Câmara dos Deputados. “Temos que ficar atentos para evitar que os direitos dos pescadores sejam roubados. A reforma da Previdência pode ser votada a qualquer momento”, destacou Silas.

Se a reforma da Previdência for aprovada sem respeitar os direitos dos pescadores, os trabalhadores da pesca e rurais só poderão se aposentar com a idade mínima de 65 anos e com 25 anos de contribuição. Na prática, para receber 100% do valor, o pescador terá que contribuir por 49 anos, mesmo que tenha atingido 65 anos de idade.

Roberto Brasil