Pedalada da Inclusão reúne cerca de 200 pessoas na Ponta Negra

By -

pedalada-da-inclusao-ponta-negra 01Cerca de 200 pessoas participaram, na noite de sexta-feira, 1º, da 3ª edição da Pedalada da Inclusão, que aconteceu no Complexo Turístico Ponta Negra, promovida pela Secretaria Municipal de Educação (Semed). A primeira-dama do município e secretária Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), Goreth Garcia Ribeiro, deu a largada do evento, que contou com a participação de ciclistas, adeptos do esporte e pais com filhos autistas. A ação foi em alusão ao Dia Mundial do Autismo, celebrado neste dia 2 de abril.

“A pedalada é só mais um passo que a Prefeitura de Manaus tem dado desde 2013, no trabalho para oferecer qualidade de vida aos autistas. E é uma forma de chamar atenção da cidade, sensibilizar, provocar mudanças de atitudes. A verdadeira inclusão não acontece só na escola, mas na rua, no bairro, na comunidade e isso é papel de todo cidadão”, ressaltou a primeira-dama.

Os participantes saíram do complexo e seguiram até a sede da Prefeitura Municipal de Manaus, onde foram acesas luzes azuis em homenagem ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo. O evento teve início às 19h, com um aquecimento e danças para as pessoas presentes e contou com a participação de 11 grupos de pedaladas de Manaus, que foram divididos em dois percursos.

pedalada-da-inclusao-ponta-negra 02O primeiro partiu do anfiteatro e foi até o Shopping Ponta Negra e o segundo seguiu até a sede da Prefeitura de Manaus, retornando ao ponto de partida.  Uma minicaminhada partindo do anfiteatro até a rotatória, também foi organizada para quem não possuíam bicicleta, crianças ou pessoas com mobilidade reduzida.

O evento é uma das ações dos Jogos Adaptados André Vidal de Araújo (Jaavas), que em 2016 completa cinco anos de atividade e que tiveram os resultados expostos ao público durante a ação. A coordenadora do Jaavas, Shirley Amaral, falou sobre o objetivo da ação. “Essa é uma maneira de mostrar à sociedade que é possível incluir os portadores de deficiência por meio do esporte”.

Mãe de dois meninos autistas que estudam na Escola Municipal de Educação Especial André Vidal de Araújo, a dona de casa Dheiny Peixoto da Cruz, ressaltou que esse tipo de evento é importante para chamar a atenção da sociedade sobre o autismo e diminuir o preconceito que ainda afeta autistas. “Eu tenho dois filhos autistas e sei que ainda existe muito preconceito em relação ao transtorno. Então, a cada ano na pedalada, eu vejo que as pessoas que participam passam a se interessar em conhecer mais sobre o assunto. Por isso, acho esse tipo de atividade muito importante para a causa”.

pedalada-da-inclusao-ponta-negra 03Opinião semelhante tem Manuele Carvalho, mãe de Marcos Vinícius, de 10 anos, também aluno da escola André Vidal. Para ela, além de levar cada vez mais conhecimento à população sobre o que é o Transtorno do Espectro Autista (TEA), eventos esportivos como a pedalada são fundamentais para o desenvolvimentos das pessoas com deficiência, por representar uma forma de inclusão na sociedade, retirando-os do isolamento que muitas vezes são submetidos.

Os inscritos receberam camisa personalizada e concorreram a sorteios de brindes. Além da pedalada, o público presente também recebeu orientação sobre inclusão e retirada de documentos e recebeu apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), Secretaria Municipal de Lazer e Juventude (Semjel), Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped) e Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Sejel).

Roberto Brasil