Passo a Paço leva público de 15 mil ao Centro Histórico

By -

Passo-a-Paço-Programacao-1O encontro do mundo das artes – cênicas, dança, música e plástica – com a gastronomia levou crianças, jovens e adultos ao Centro Histórico de Manaus no primeiro dia do Passo a Paço, projeto de ocupação da região central da cidade, que está em sua segunda edição. Em torno de 15 mil circularam no local no sábado, 17, das 16h às 22h. A organização, segurança e programação foram os principais destaques apontados como positivos pelo público que prestigiou o projeto realizado pela Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

“É um evento de grande porte que valoriza o Centro de Manaus e está de portas abertas para o público com segurança e a presença dos melhores chefs de Manaus, além de representantes da alta gastronomia do Brasil. Hoje (domingo) é o dia mais forte do evento, assim como foi na primeira edição. Cada um expõe aqui o seu talento e promove a mistura do que produzimos aqui com o que vem de fora. É uma troca”, afirmou o prefeito Arthur Virgílio Neto. “Sempre que investimos em turismo, na recuperação de pontos como este, melhoramos a qualidade de vida das pessoas em Manaus”, completou.

Passo-a-Paço-Programacao-2Os chefs Guga Rocha, atração do “Programa da Tarde” (Record) e “Homens Gourmet”, do canal Fox, e Thomas Troisgros conheceram um pouco da culinária local. “Provei muitas frutas que não conhecia e fiquei maravilhado com esses sabores. Esse projeto de reocupação do centro histórico unido à gastronomia é enriquecedor para quem visita a cidade”, afirmou Rocha.

“Tive a oportunidade de conhecer alguns ingredientes locais que vou levar para o Rio de Janeiro”, afirmou o chef Troisgros. “A visão de quem vem de fora é única: o Thomas, por exemplo, faz manteiga do nosso tucupi”, afirmou o chef Felipe Schaedler, responsável pelo restaurante O Banzeiro.

Passo-a-Paço-Programacao-3Público, artistas e chefs participantes indicaram a infraestrutura e o ordenamento no entorno da praça Dom Pedro II como fatores que se destacaram nesta edição. “A disposição das barracas, do palco Arena, em um lugar mais reservado, onde os espetáculos teatrais pudessem ter a atenção do público, assim como a coleta de lixo e o material disponibilizado aos chefs foram pontos trabalhados para superar a primeira edição e acredito que o resultado é esse sucesso de aceitação e participação das pessoas”, afirmou o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula.

A integração entre os órgãos e estruturas que atuaram no evento contribuiu para que não houvesse nenhuma ocorrência dentro da praça e nas ruas de acesso, segundo Bernardo Monteiro de Paula. Foram eles: Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp); Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans); Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh); Secretaria Municipal do Trabalho; Empreendedorismo, Abastecimento, Feiras e Mercados (Semtef); Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU); Conselho Tutelar; Defesa Civil Municipal; Corpo de Bombeiros; Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Departamento de Vigilância Sanitária (Visa Manaus). A Polícia Militar destacou 100 homens e a Guarda Municipal 30, para o evento.

Passo-a-Paço-Programacao-5A autônoma Vera Lúcia Pereira de Oliveira levou as duas filhas pela primeira vez à Praça Dom Pedro II. “A mais nova, de 19 anos, não sabia nem onde ficava. Isso é um reflexo dos anos em que este espaço foi tratado com descaso. É uma oportunidade para os mais novos, estudantes, conhecerem um pouco do passado. Eu mesma nunca havia entrado no Paço (da Liberdade) e fiquei encantada”, afirmou.

Margareth, Elizabeth e Maria Augusta Pereira, mãe, filha e avó, representantes de três gerações, foram pela segunda vez juntas à praça Dom Pedro II. “Desta vez está mais organizado e todos puderam desfrutar de tudo com tranquilidade. Além do cardápio, as atrações musicais estão ótimas”, afirmou Margareth. Enquanto isso, dona Maria Augusta explicava para a neta, Elizabeth, que tipo de árvores estavam plantadas no local. “Isso aqui tem muita história, da cidade e minha”, disse.

Para o vice-presidente da Manauscult, José Cardoso, o evento traduz, em sua plenitude, todos os segmentos que a secretaria representa: Cultura, Turismo e Eventos. “Tivemos aqui exposições maravilhosas, visitação à sala de Arqueologia, a abertura do Instituto de Geografia e História do Amazonas (IGHA) pela primeira vez em um evento público como esse, atrações musicais, teatrais e de dança, tudo isso em um paço turístico, que está sendo resgatado depois de ter ficado tanto tempo abandonado. Estamos alforriando o Centro Histórico de Manaus”, afirmou.

Roberto Brasil