Parintins: Câmara aprova CPI contra prefeito Alexandre da Carbrás

By -
Alexandre da Carbras

Alexandre da Carbrás

Vereadores da Câmara de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus) aprovaram, em sessão ordinária, na tarde desta terça-feira (1º de março) a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra a gestão do prefeito Alexandre da Carbrás (PSD) para apurar indícios de desvio de recursos na área da saúde. O objeto da investigação é em razão da decisão do Conselho Municipal de Saúde que reprovou as contas da Secretaria Municipal de Saúde, no exercício de 2014, em reunião realizada na sexta-feira (26).

A abertura da CPI necessita da assinatura de quatro vereadores. A proposta para instalação da CPI é do vereador Nelson da Caixa Campos (PRTB). “Estamos de posse de vários documentos, de notas ficais frias, de superfaturamento que precisam ser investigados”, falou. O plenário da Casa contou com a presença de representantes de movimentos sociais e de membros do Conselho de Saúde.

Para a abertura da CPI a Câmara necessitava da assinatura de quatro vereadores, dos 11 da Casa. Nesta quarta-feira, os vereadores vão votar quem serão os membros da CPI. O prefeito está em minoria no parlamento. Somente dois vereadores saíram em defesa dele: Everaldo Batista (PROS), presidente da Câmara e o vereador cabo Ernesto. Aliás, desde a semana passada que até os aliados engrossaram coro dos “bombardeios” contra a administração.

Outras CPIs

Ao defender a gestão do prefeito Alexandre, o vereador Cabo Ernesto disse que será necessário fazer uma varredura na administração. Ele propôs mais quatro CPIs, que abertas teriam objetivo chegar até o ex-prefeito e deputado Bi Garcia (PSDB). “Temos que abrir CPis das casas populares, que invadiram o terreno de um empresário; dos cheques da Pérgula, da mini-Vila Olímpica. O gestores passados foram condenados a devolver mais de R$ 2 milhões ao Fundo Nacional de Saúde por desvio de recursos ”, atacou Ernesto. “Podemos ainda abrir CPIs da Pedofilia porque tem índicios da participação de vereador e também CPI dos vídeos pornográficos com supostos envolvimento também de vereador”, defendeu Ernesto, isoladamente. //Jonas Santos

Mario Dantas