Parente, estamos num beco sem saída

By -

cegoemtiroteio1Da Redação – Em que lugar vamos parar, parentada, com esse ritual de violência generalizada. Todo dia ao ler um jornal, ligar uma televisão, rádio, ou ter contato com qualquer meio de comunicação a violência está estampada de todas as formas, em todos os seguimentos da sociedade. Tudo isso causado pela miséria espelhada e espalhada pela má distribuição de renda, dando pano para vestir a famigerada desigualdade social, distanciando cada vez mais o cidadão da roupa que veste sua cidadania, o expondo a nudez da sua identidade.

Os políticos, nossos representantes “legais” – quase sem exceção-, continuam com o mesmo discurso: que vai tudo bem; o novo projeto de segurança está dando certo; mais escolas foram construídas; hospitais funcionando a todo vapor; o interior está mais assistido do que antes, é papo para convencer, emocionar o mais frio dos corações. Mas, na realidade, continua tudo como era antes. As coisas vão se acumulando, só mudando de embalagem para enganar os “eleitrouxas”, que tem as bênçãos do “Deus” do candidato “Fulano de Tal”. Estamos acuados, Parente!

O que temos que fazer é acordar, olhar em nossa volta para ter a consciência do que somos, e, representamos pra eles, porque nós os elegemos como nossos fieis representantes. Não precisamos está cercados por tudo o quanto é amargo e negro a vida, neste Planeta ainda Azul. Porque ainda há esperança de mudarmos tudo a partir de nós mesmos para não sermos enganados mais.

Só eles têm o direito de viver bem neste País, são os acumuladores de riquezas, que inescrupulosamente, subtraem dos cofres públicos. Tendo em seu “Deus” a fortaleza maior, estão imunes a qualquer atropelo e constroem os seus Paraísos aqui mesmo Parente!

O impressionante é que, quando mais suas fortunas crescem, mais seu “Deus” os protegem, e, o povo, mais empobrecido se agiganta na sua fé; se agarra, se amarra, se arranha, seguindo, se alongando nas procissões, nas caminhadas sob orações, trôpega, entorpecida a espera de um milagre, por menor que seja para amenizar seu sofrimento.

Estamos encurralados, Parente!

  • Parente, eu sei, estamos num beco sem saída.

  • Estamos sim, Parente, e só existe uma saída: pra cima.

  • Mas Parente, como vamos sair por cima, se não temos asas?

  • Aí é que está Parente… Quem sabe com muita reza, num acontece um milagrezinho e a gente cria asas? Afinal de contas dizem que deus é brasileiro…

  • É mesmo Parente… Olha, formiga que é formiga, que nem sabe rezar, cria asas, imagine a gente.

  • Mas Parente a gente de asas vai ficar que nem duas borboletas, num é? A nossa situação é difícil; se correr o bicho pega, e, se ficar o bicho come. Acho melhor esperar o bicho, e esquecer esse negócio de asas, né?

  • É, vamos torcer Parente, quem sabe aquele balão que trouxe uma vez o boi garantido pra dentro da arena num aparece e tira a gente dessa enrascada. Eu sou Garantido, e tu?

  • Sou caprichoso Parente, mas eu acho que nessa condição vou virar a casaca.

Portanto, parentada, vamos virar a casaca, a mesa, a urna, o que for preciso: sem medo, porque a força está nas nossas mãos, só assim poderemos construir uma saída honrosa para o beco se saída. (Texto: David Almeida)

Roberto Brasil