Outubro Rosa Pets alerta sobre câncer em animais de estimação

By -

outubro_rosa_pet_divulgacao03

A campanha de conscientização “Outubro Rosa”, que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama ganhou notoriedade nacional.O que é de pouco conhecimento social, é que os animais de estimação, conhecidos como Pet, também podem desenvolver câncer, fato que requer atenção à saúde dos animais, no sentido de prevenir, diagnosticar e tratar a doença.

Com o objetivo de alertar a comunidade, proprietários de animais, alunos de graduação e Médicos Veterinários, a Escola Superior Batista do Amazonas – ESBAM, através do Curso de Medicina Veterinária, realiza pelo segundo ano consecutivo a Campanha “Outubro Rosa Pets”, divulgando a necessidade de diagnosticar e tratar precocemente o câncer de mama em animais de estimação, já que esta patologia é a mais frequente em cadelas e a terceira em gatas.
outubro-rosa-pet-cartaz-banner

Além das peças publicitárias sobre saúde animal nas Redes Sociais da ESBAM e em seu site, acontecerá um evento no dia 21 de outubro, sexta-feira, de 09h às 12h, na Clínica Veterinária da ESBAM (CliniVET), onde serão realizados exames físicos e triagem gratuito nos animais, biopsias e citologia gratuitas para casos suspeitos. Uma vez feito o diagnóstico, será indicada ao proprietário a análise de ultrassom e raio-x para análises por imagem dos outros órgãos (para diagnosticar metástase), e caso necessário, os procedimentos para a retirada do tumor o mais breve possível.
Para o Coordenador do Curso de Medicina Veterinária, o Mestre José Allan de Araújo, esta ação é de suma importância para a sociedade, pois evidencia um assunto pouco exposto, e que afeta diretamente a saúde e bem estar dos animais de estimação. “Esta proposta tem como objetivo, além de oportunizar a divulgação dos sintomas, prevenção e tratamento do câncer de mama animal, cumprir a responsabilidade social da instituição, oferecendo informação e serviços gratuitos à sociedade”, afirma o coordenador.

Áida Fernandes