Operação da PF prende ex-secretário de Cabral e dois empresários

By -

Operação Fatura Exposta investiga fraudes no fornecimento de próteses na área da Saúde

A Polícia Federal (PF) cumpriu na manhã desta terça-feira mandados de prisão e de busca e apreensão contra o ex-secretário de Saúde do Rio Sérgio Côrtes e os empresários Miguel Iskin, presidente da Oscar Iskin, uma das maiores distribuidoras de material médico, e de seu sócio, Gustavo Estellita Cavalcanti Pessoa. Os mandados fazem parte da nova fase da Operação Lava Jato no Rio, deflagrada nesta terça.

Côrtes foi secretário de Saúde de Sérgio Cabral entre 2007 e 2013 e foi preso em seu apartamento na Lagoa Rodrigo de Freitas. Os três serão encaminhados para a Superintendência da PF no Rio. A operação, batizada de Fatura Exposta, investiga fraudes em procedimentos licitatórios do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e da Secretaria Estadual de Saúde.

Cerca de cem agentes da PF cumprem três mandados de prisão preventiva, vinte mandados de busca e apreensão e três mandados de condução coercitiva, na capital fluminense e nos municípios de Mangaratiba e Rio Bonito, no Estado do Rio. As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

Segundo a PF, as investigações foram iniciadas há cerca de 6 meses e os servidores públicos envolvidos direcionavam licitações para beneficiar empresários investigados em troca do pagamento de propina no valor de 10% dos contratos. Os presos serão indiciados por corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Fonte: VEJA

Roberto Brasil