“O PT tem muito a contribuir com o País. Precisamos corrigir os erros e continuar firme nas lutas”, disse José Ricardo, na Sessão Especial do PT

By -

 

Manaus, 16/02/2016 - Sessão Especial em comemoração ao 36 anos de Fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) de autoria dos deputados José Ricardo e Sinésio Campos. (Foto: Rubilar Santos/Aleam)

Os 36 anos de fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) foi comemorado nesta terça-feira (16) em Sessão Especial na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). A autoria da homenagem foi dos deputados petistas José Ricardo Wendling e Sinésio Campos. No dia 10 de fevereiro de 1980, o PT foi fundado por metalúrgicos, professores, estudantes, religiosos, homens e mulheres, como um instrumento para conquistar e garantir seus direitos e por uma sociedade mais justa e solidária.

ALE2392

José Ricardo comentou que o Partido dos Trabalhadores contribuiu e continua cooperando com a redemocratização do Brasil e a conquista de direitos dos trabalhadores e das minorias, por meio da implementação de programas de governo que têm conciliado a inclusão social e o desenvolvimento econômico. “O Brasil tornou-se um País de oportunidades, viabilizando o acesso à universidade aos jovens, gerando empregos, assegurando a igualdade dos direitos entre todos, homem, mulher, negro, jovem, idoso e entre todas as regiões brasileiras”, afirmou ele, ressaltando que foi o Programa Fome Zero e os vários programas de inclusão social e de transferência de renda implantados pelo PT nos governos Lula e Dilma, desde 2003, que tirou mais de 30 milhões de pessoas da linha da miséria e retirando o Brasil do Mapa da Fome mundial, reconhecido pela ONU.

DSCN7618 (1)

Para o deputado, o PT é um partido político plural, que convive democra­ti­camente com a diversidade. “Tem seus erros, pois é uma instituição feita por pessoas, onde cada um tem sua forma de agir e que acertam e erram. Alguns já estão pagando pelos seus erros. Mas a maioria continua acertando e assim o PT vai continuar cada vez mais forte e renovado, com mais de um milhão de filiados pelo País. Precisa estar junto aos movimentos sociais, de onde surgiu e de onde poderá vir a força necessária de mudanças no país. Parabéns a todos os companheiros e companheiras”, completou ele, frisando ainda que este ano tem eleições municipais e que o partido deve participar como protagonista, com candidatura própria, principalmente, para a cidade de Manaus, com propostas efetivas para melhorar a vida dos manauenses.

PT é um projeto de sociedade

A secretária executiva de desenvolvimento econômico (Executiva Nacional do PT), Anne Karoline, destacou que o PT não é somente uma legenda para disputar uma eleição; mas um projeto de sociedade. “A perseguição que estamos sofrendo é por tudo o que fizemos e não pelo deixamos de fazer. Precisamos reavivar as nossas lutas, avermelhar os nossos corações para que não nos envergonhemos de ser petistas. Porque muito já fizemos por este País. Parabéns a todos nós”.

Ruan Octávio, secretário estadual de juventude do PT, afirmou que 36 anos de PT são 36 anos de resistência política. “Foi no Governo desse Partido que foram apresentadas propostas exitosas, que deram certo e que fazem a justiça social. Por isso, digo que a nossa militância não vi resistir às pressões e vai às ruas defender o PT, o Governo e o ex-presidente Lula, se assim for necessário. E Viva o Partido dos Trabalhadores”, pontuou.

De acordo com a coordenadora do Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM), Neila Gomes, o PT tem seu DNA ligado aos direitos humanos, ao direito à habitação e ao direito das mulheres. “Foi nesse governo que mais de quatro milhões de brasileiros tiveram direito a uma moradia digna e muito ainda farão por pessoas que antes não tinham nem o direito de sonhar. Isso é construir cidadania. Estar ao lado de quem, há 500 anos, não tinha vez nem voz, alijada dos espaços do poder”.

“O PT fez muito pelo Brasil e pelos brasileiros. Fez com que todos pudessem se sentir mais pessoas e mais humanos. Porque uma árvore que dá frutos vai ser bastante apedrejada e, por isso, sabemos o porquê de tantas perseguições. Porém, somos fortes, somos CUT e somos PT, que irá continuar fazendo o País crescer”, declarou o secretário de polícia social da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Hamilton Prado.

Mario Dantas