O MELHOR DO AMAZONAS É A CORAGEM DE SUA GENTE

By -

Ademir-RamosEste orgulho está retratado nos primeiros resultados das eleições de 2014. O nosso povo de forma sábia depois de muito ouvir e ver o que os marqueteiros diziam sobre as intenções de voto resolveu manifestar-se nas urnas a favor de um projeto mais humano, participativo centrado na gestão de pessoas e na perspectiva da afirmação de uma política responsável. Resolveu com seu ato punir os irresponsáveis e todos àqueles políticos, que se comportam como os velhos “coronéis de barranco,” de forma truculenta, com arrogância e violência em defesa dos interesses privados, beneficiando grupelhos que sangram a economia pública enriquecendo-se a custo do povo.O segundo turno das eleições para o governo do Estado já é um ato de coragem de nossa gente. A decisão popular vem contra as pretensões do candidato do PMDB, que tão confiante estava que chegou a alugar um clube na periferia da cidade para se “embriagar nos braços do povo”. Para surpresa dele e de sua coligação o povo aderiu a outro projeto confirmando o nome do professor Melo como um dos favoritos para governar o Amazonas. Ainda mais, a nossa gente elegeu Omar Aziz, como Senador da República, votando também pela maior bancada de deputados tanto na Assembleia como na Câmara Federal favorável, desta feita, ao projeto do professor Melo e de sua coligação.

A surpresa deste pleito está no índice crescente do Melo, enquanto candidato a governador, considerando a sua pouca visibilidade junto ao povo se compararmos com o candidato repeteco do PMDB. Contudo, a vontade do povo é soberana, não se deixa abater pelo medo e muitos menos pelas promessas midiáticas do Mago que diz saber fazer, mas não fez.

O segundo turno é caso pensado. Deve-se ter todo cuidado para não se deixar levar pelo encantamento do Mago e muito menos pelo canto da Sereia. O Mago vai se fazer de vítima, dizendo que foi abandonado e traído, buscando com isso o pesar do povo no sentido de arrebatar o nosso voto. Mas, não se iluda não, ele continua o lobo que todos conhecemos, ardiloso e autoritário tratando o nosso povo como rebanho em seu quintal.
O projeto do professor Melo, consumado a vitória nas urnas, tem muito mais musculatura popular do que do Mago com sua Sereia. A principal marca do Melo é a descentralização do poder em respeito às organizações e movimentos populares; é o investimento em gestão de pessoas valorizando o trabalho dos servidores públicos como mediadores junto ao nosso povo e com isso qualificar o serviço público em atenção às demandas populares. Bem diferente do candidato do PMDB que decide aplicar recurso público de forma autoritária, determinando toda atenção às construtoras que operam os megaprojetos com faturamento altíssimo em detrimento da atenção básica seja na saúde, educação, cultura, meio ambiente e outras demandas populares.

Contra a este Modo Medonho de governar só resta uma saída. É virar o jogo e confirmar o nome do Melo nas urnas, participando das ações de governo de forma organizada com propósito de fiscalizar e controlar o que for de melhor para nossa gente.

Mario Dantas