Número de mortes por suicídio no Amazonas reduz em 2017

By -

Lançada em Manaus na noite de domingo, 10, no Largo São Sebastião, Centro, zona sul de Manaus, a campanha Setembro Amarelo reúne psiquiatras, psicólogos, defensores públicos e membros de organizações públicas e civis no desenvolvimento de ações para prevenção ao suicídio. O objetivo é reduzir o número de casos incentivando formas de prevenir, principalmente, doenças mentais que podem levar a esse fim. No Amazonas, segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), o suicídio foi a causa da morte de 60 pessoas de janeiro e julho de 2017.

Embora ainda elevado, com o equivalente a duas mortes por semana, os dados apontam que houve redução se comparado ao mesmo período de 2016, quando 64 pessoas tiraram a própria vida. Conforme os registros da SSP-AM, foram 54 mortes por suicídio em Manaus e seis no interior do Estado este ano. As causas e as formas de prevenção e assistência à saúde mental serão tema do II Simpósio de Prevenção ao Suicídio, que ocorre na quarta-feira, dia 13 de setembro, das 9h às 13h, no auditório Deputado Belarmino Lins da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), na avenida Mário Ypiranga Monteiro, 3950, Parque Dez, zona centro-sul de Manaus.

O simpósio faz parte da programação da campanha Setembro Amarelo, aberta ontem no Largo de São Sebastião com a distribuição de panfletos informativos, lacinhos amarelos e sementes de girassol. Toda a programação é organizada pela Associação Amazonense de Psiquiatria e a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) e conta com o apoio da Associação Brasileira de Psiquiatria, Conselho Federal de Medicina, ALE-AM, Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e Secretaria de Estado da Cultura, que iluminou o Teatro Amazonas de amarelo no domingo à noite, 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. 

A psiquiatra Alessandra Pereira, diretora da AAP, afirma que, além da necessidade de se falar mais sobre as causas do suicídio, é fundamental para uma prevenção eficaz encaminhar pessoas em risco para tratamento médico adequado. “A prevenção mais eficaz está no tratamento psicoterápico, em muitos casos com uso de medicamentos”, afirmou a psiquiatra ao destacar dados estatísticos da AAP que apontam que 97% das pessoas que se suicidam têm um diagnóstico psiquiátrico comprovado. Dessas, pelo menos 90% poderiam estar vivas caso tivessem recebido a abordagem e o tratamento médico adequados. 

De acordo com Alessandra Pereira, a prevenção também passa por mais investimentos do poder público na atenção primária de saúde. “Está comprovado cientificamente que pelo menos 80% das pessoas que cometeram o ato de suicídio procuraram, um ano antes, os serviços públicos de saúde. Não por conta do sofrimento emocional, mas porque estavam com problemas físicos que eram indícios de sofrimento emocional”, destacou a psiquiatra ao defender que o poder público deveria investir mais na estrutura e preparação dos profissionais de saúde para investigar melhor o risco.  “O investimento público também deveria ser maior nas escolas, onde menos de 20% dos adolescentes procuram atendimento de saúde quando passam por sofrimento emocional”, acrescentou. 

O defensor público do núcleo de Saúde da Defensoria Pública do Amazonas, Arlindo Gonçalves, também defendeu o investimento na atenção primária, nas policlínicas e na rede de assistência à saúde mental, como nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPs), como forma de prevenção. “A internação nos casos de saúde mental deveria ser a exceção, principalmente porque a estrutura que o Estado dispõe é muito pequena. O ideal é ter uma rede extra-hospitalar bem estruturada e ter um trabalho de prevenção”, afirmou o defensor público Arlindo Gonçalves. Segundo ele, o núcleo de Saúde da DPE-AM, que funciona na rua 24 de Maio, 321, Centro, zona sul de Manaus, tem recebido demandas relacionadas à saúde mental, buscando garantir o direito ao tratamento mais adequado. O núcleo funciona das 8h às 14h de segunda a sexta-feira.

Caminhada – Como parte da programação do Setembro Amarelo também será realizada uma caminhada na Ponta Negra, zona oeste de Manaus, no próximo domingo, dia 17 de setembro, com a participação de defensores públicos, psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e estudantes, que distribuirão material informativo sobre prevenção ao suicídio. A caminhada terá início às 9h, partindo do Anfiteatro da Ponta Negra. 

O ônibus de atendimento itinerante da Defensoria Pública estará nas imediações do anfiteatro como ponto de apoio à caminhada e também local de disseminação de informações sobre a campanha de prevenção ao suicídio.

Roberto Brasil