No Dia internacional da Mulher, delegacias especializadas terão atendimento da Defensoria Pública

By -

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) realiza no início do mês de março duas ações do projeto “Defensoria Itinerante” voltadas ao atendimento de questões da área de Família e Registros Públicos nas Delegacias Especializadas em Crimes contra a Mulher das zonas leste e centro-sul de Manaus. As ações ocorrem em razão do Dia Internacional da Mulher, celebrado em 08 de março.

Nos dias 07, 08, 09 e 10 de março, o “Defensoria Itinerante” vai atender na Delegacia da Mulher anexa ao 13° Distrito Integrado de Polícia (DIP), na avenida Nossa Senhora da Conceição, bairro Cidade de Deus, zona leste de Manaus. Nos dias 14, 15, 16 e 17 de março, os atendimentos serão feitos na Delegacia da Mulher que fica na avenida Mário Ypiranga Monteiro, bairro Parque Dez, zona centro-sul. Nas duas unidades, o “Defensoria Itinerante” funcionará das 8h às 15h.

Serão feitos atendimentos iniciais, para dar entrada em processos da área da Família e Registros Públicos, que envolvem questões como pensão alimentícia, divórcio, investigação de paternidade e retificação de certidão de nascimento, por exemplo. As ações se destinam ao atendimento das mulheres nas delegacias, mas também à população dos bairros.

A coordenadora do projeto “Defensoria Itinerante”, defensora pública Caroline Braz Penha, explica que as ações voltadas às mulheres vêm acontecendo desde o ano passado para ampliar a assistência da Defensoria Pública a esse público e também contribuir para reduzir conflitos familiares que, em alguns casos, são causas de violência doméstica.

No ano passado, o “Defensoria Itinerante” realizou cerca de 8 mil atendimentos em diversas áreas de Manaus. Nesse ano, a meta é alcançar pelo menos 10 mil atendimentos com o projeto. Somente nas ações realizadas para lembrar o Dia Internacional da Mulher, a meta é superar 600 pessoas atendidas em cada Delegacia.

“A importância desse tipo de ação é levar o defensor público ao encontro do cidadão, possibilitando o acesso à Justiça e a orientação dos seus direitos”, ressalta a defensora Caroline Braz.

Áida Fernandes