No Centro, ‘arrastão’ deixa consumidores e lojistas em pânico

By -
Lojistas assustados fecharam as portas por precaução

Lojistas assustados fecharam as portas por precaução

Depois de provocar pânico durante um ‘arrastão’ aos consumidores de lojas e restaurantes do Centro da capital, três homens identificados como Nilson Fagner Lemos de Souza, Marcelo Cordeiro Rodrigues, ambos 21, e Cleber Pereira Gomes de Magalhães, 31, foram presos nas proximidades da Praça da Matriz. O tumultuo teve início por volta das 17h30 de quarta-feira (23). Não houve registro policial de assalto nos estabelecimentos até o fim da ocorrência.

Segundo informações colhidas pela reportagem no local, testemunhas informaram que houve correria em diferentes vias do Centro. As ruas Barroso e Quintino Bocaiuva, além das avenidas 7 de setembro, Eduardo Ribeiro, Marechal Deodoro e Saldanha Marinho, onde o tumultuo foi grande.

Uma testemunha relatou que algumas pessoas aproveitaram o momento de pânico e saquearam as lojas que estavam com movimentação intensa.

Com medo de serem roubados, funcionários de supermercados, lojas de roupas e calçados fecharam as portas com os clientes dentro dos estabelecimentos. Muitas pessoas só saíram dos comércios após ouvirem barulhos de sirenes ou depois que policiais passaram para tranquilizar.

Segundo o mototaxista Naldo Garcia, 32, que estava em um ponto no início da avenida Eduardo Ribeiro, a confusão teve início ao na rua Quintino Bocaiúva e foi se alastrando por outras vias. “Era uma aglomeração de gente e todos correndo dizendo que era arrastão e que tinha gente armada”, contou.

Na hora da correria, a vendedora ambulante Edicleia Oliveira Cunha, 42, viu todas as lojas fechando e acabou se escondendo entre dois carros. “Eu me abaixei e escondi o dinheiro. Esperei as coisas se acalmarem. Mas foi terrível, pois parecia que tinha muitos bandidos e eles saíram levando as coisas de todo mundo”, disse Cunha.

A polícia não identificou nenhuma loja que tenha sido roubada. Mas relatos dos populares dão conta de que transeuntes ainda foram roubados. Uma loja de sapatos, na avenida Eduardo Ribeiro, também sofreu tentativa de assalto. Todas as grandes lojas do Centro, incluindo as pequenas, fecharam as portas imediatamente.

Uma estudante de enfermagem de 30 anos, que estava na loja ‘Shop do Pé’, da avenida 7 de Setembro, presenciou o início do tumultuo. “Estávamos na loja e de repente vimos umas pessoas correndo na Sete, falando em assalto. Os lojistas imediatamente começaram a fechar as portas e as pessoas que estavam do lado da rua tentavam entrar. Teve um momento de calma, mais alguns minutos depois ouviu-se outros disparos, gritos e pessoas correndo”, disse.

A estudante disse ainda que os suspeitos foram vistos saindo da rua Marechal Deodoro, fazendo esquina com a Sete de Setembro, onde acabaram iniciando troca de tiros com a polícia.

Três suspeitos foram presos na avenida Eduardo Ribeiro, nas proximidades da antiga Praça do Relógio. Com ele, foi apreendida uma arma, de modelo ainda não divulgado. As testemunhas disseram que tinham mais suspeitos envolvidos na ocorrência.

Quando a movimentação começou, havia apenas dois Policias Militares fazendo a segurança na área. Depois de começada a correria, foram usadas cinco viaturas da 24º Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e da Ronda Ostensiva Candido Mariano (Rocam), além do apoio de policias da Força Tática.

Após a prisão, os infratores foram encaminhados para o 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), para realizarem os procedimentos cabíveis ao caso. A PM continuou a ronda pela área em buscas de mais envolvidos. *EMTEMPO

Roberto Brasil