No Brasil, cinco mulheres são agredidas a cada dois minutos

By -
Apesar da Lei Maria da Penha, vítimas ainda têm medo de denunciar agressores

Apesar da Lei Maria da Penha, vítimas ainda têm medo de denunciar agressores

Cinco mulheres sofrem violência doméstica a cada dois minutos no Brasil. Apesar dos avanços alcançados com a Lei Maria da Penha, muitas vítimas ainda têm medo de denunciar os agressores.

“Você vai a uma delegacia de polícia, faz o registro de ocorrência e se aquele apoio não é dado naquele momento, ela volta pra casa e vai acabar mais agredida, desprotegida e com o peso a mais porque ela quebrou o silêncio”, aponta a promotora de justiça Maria Gabriela Mansur.

A violência é indiscriminada, mas ganha vitrine quando envolve famosos. Essa semana, o jogador do Vasco Bernardo teve que prestar depoimento em uma delegacia do Rio de Janeiro. A ex-namorada Patrícia Mello diz ter levado socos e pontapés depois de uma briga de casal. O atleta nega.

“Eu fiquei muito assustada. Voltei pra casa porque tinha medo de que acontecesse alguma coisa”, afirma Patrícia.

Se uma mulher for agredida e ameaçada no final de semana e procurar uma delegacia especializada, vai encontrar as portas fechadas, já que esses locais não funcionam aos sábados e domingos.

“Já recebi denuncia de mulheres que ficaram 12 horas aguardando, com filho no colo sem a atenção devida de uma agressão que ela sofreu”, explicou a promotora.

No extremo da violência o Brasil também está numa posição vergonhosa: entre 84 nações, país é o sétimo do mundo a ter mais casos de mulheres mortas, principalmente, por companheiros. BAND

Roberto Brasil