Na Venezuela, mulher grava momento em que é baleada no queixo por policial

By -

Disparo atingiu o queixo da mulher de raspão Foto: Reprodução Twitter

Em meio à forte repressão na Venezuela, uma mulher gravou o momento em que foi baleada por um policial na cabeça. Ela filmava membros da Guarda Nacional Bolivariana disparando à queima-roupa contra supostos manifestantes, enquanto avançavam por uma rua deserta. Até o momento, 20 pessoas foram mortas em três semanas de protestos contra o governo de Nicolás Maduro.

Um dos policiais disparou tiro de fuzil contra a mulher que gritava e o insultava. O telefone caiu das mãos da vítima, e a imagem ficou escura. Por sorte, a bala atingiu de raspão o queixo da mulher.

O vídeo foi compartilhado nas redes sociais na quinta-feira por Yusnaby Pérez, correspondente da emissora Univisión 23, e viralizou rapidamente. No entanto, ainda não se sabe onde e quando ocorreu o incidente.

Na noite de quinta-feira, um homem morreu ao ser atingido por tiros durante um protesto na área de Petare em Caracas, elevando para nove o número de óbitos nos protestos. A vítima foi identificado como Melvin Guaitan:

“Com muita dor informo a morte por impacto de bala de Melvin Guaitan, humilde trabalhador, morador de Sucre #Petare“, escreveu no Twitter Carlos Ocariz, prefeito do município de Sucre, onde fica Petare, na região de Caracas. “Melvin foi assassinado na entrada do Bairro 5 de Julho durante o protesto esta noite (quinta-feira). Exigimos que se investigue e castigue os culpados!”, completou o prefeito, que faz oposição ao governo.

Líderes da oposição prometeram manter os protestos, exigindo que o governo de Maduro convoque eleições regionais adiadas desde o ano passado, liberte quase 100 ativistas da oposição presos e respeite a autonomia do Congresso, liderado pela oposição.

A oposição está organizando protestos em níveis comunitários pelo país nesta sexta-feira, uma marcha “silenciosa” em Caracas no sábado em homenagem aos mortos nas manifestações e um bloqueio nacional nas principais rodovias da Venezuela na segunda-feira.

O governo de Maduro até o momento resiste à pressão dos mais sérios protestos em três anos. Líderes do governista Partido Socialista descrevem os manifestantes como bandidos violentos que danificam propriedades públicas e perturbam a ordem pública para derrubar o governo com apoio de adversários ideológicos em Washington.

Fonte: AGÊNCIA O GLOBO

Roberto Brasil