Na ONU, Dilma não cita golpe, mas diz que país vetará retrocesso

By -
Pres. Dilma Rousseff

Pres. Dilma Rousseff

A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira (22), durante discurso na ONU (Organização das Nações Unidas), que o povo brasileiro vai “impedir retrocessos”, em referência ao processo de impeachment contra ela.

Dilma participa da assinatura do Pacto de Paris, na sede da ONU, em Nova York. Após falar sobre o acordo climático, disse que não poderia terminar sua fala “sem comentar o grave momento que vive o Brasil”.

“A despeito disso, quero dizer que o Brasil é um grande país, com uma sociedade que soube vencer o autoritarismo e construir uma pujante democracia. Nosso povo é um povo trabalhador, e com grande apreço pela liberdade. Saberá, não tenho dúvidas, impedir quaisquer retrocessos”, disse.

A expectativa era que Dilma trouxesse à tona a tese de que é vítima de um “golpe de Estado” devido ao processo de impeachment que avançou no último domingo (17), na Câmara. Para que haja o afastamento, cabe agora aos senadores aprovarem, por maioria simples, o voto dos deputados.

A fala da presidente foi preparada pela assessoria internacional do Palácio do Planalto sem referências ao impeachment. A decisão de mencionar o processo partiu da própria presidente.

Na noite desta quinta-feira (21), Dilma foi recebida em Nova York por cerca de 40 manifestantes, que se reuniram em frente à casa do embaixador do Brasil na ONU (Organização das Nações Unidas), Antônio Patriota, em um ato contra o impeachment. O grupo planeja repetir a manifestação em frente à sede da ONU, durante o pronunciamento da presidente.

(Com Folhapress)

Roberto Brasil