Na Matinha, justiça cumpre reintegração e moradores dizem ser ‘ilegal’

By -

Moradores de sete casas localizadas nas ruas da Legião, da Serraria e da Paz, no bairro Presidente Vargas (Matinha), Zona Sul de Manaus estão tendo que sair às pressas de suas casas por causa de uma ordem de reintegração de posse expedida pela juíza da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Etelvina Lobo Braga. A ação ocorre na manhã desta quinta-feira (16).

De acordo com moradores, que vivem há mais de 20 anos no local, a área faz parte do Prosamim, mas nenhum morador foi indenizado pelo Governo. “Fomos na Suhab e disseram que quem foi indenizado foi o senhor Frank, dono Jutal S.A, que diz que mora aqui, mas nunca morou”, disse a dona de casa Janaína Silva Corrêa, 37.

A dona de casa Cristina Silvana da Rocha, 44, moradora há 22 anos do local, foi uma das primeiras a ter os móveis retirados de dentro da sua casa e colocado no caminhão- baú mesmo não tendo para onde ir. “Não tive tempo para arrumar minhas coisas. Estou passando por esse constrangimento e não tenho nem para onde ir”, afirmou.

Os moradores procuraram a Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) que informou que deve ingressar com embargos de terceiros para reverter a situação e garantir um local para os moradores.

O defensor público Ariosto Lopes, da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) explicou que o dono do terreno foi indenizado pelo governo, no entanto, os moradores que vivem ali não tiveram acesso ao valor pago.

“O Prosamim pagou o dono, mas ele disse que as pessoas ali eram seus inquilinos. Esses possuidores não foram citados. A Suhab não atentou pra isso. Vamos entrar com ação de indenização contra esse proprietário, mas a urgência agora é a moradia. Essas pessoas não podem ficar na rua”, disse ele.///PORTAL A CRÍTICA

Roberto Brasil