Na Colômbia, Amazonino destaca importância da integração em ações humanitárias nas fronteiras

By -

O governador do Amazonas, Amazonino Mendes, participou nesta sexta-feira (10/11) da abertura do 1º Simpósio de Ações Humanitárias e Desenvolvimento Sustentável do Alto Solimões, no auditório do Banco De La República, em Letícia, na Colômbia. No evento, que integra a programação do Exercício de Logística Multinacional Interagências (Amazonlog17), do Exército Brasileiro, ele destacou a importância da união dos países na tríplice fronteira (Brasil-Colômbia-Peru) em iniciativas humanitárias que beneficiem a população da região.

 “Para nós, é alentador ver que há organizações, como a do nosso Exército, com uma preocupação efetiva não apenas na questão fria da vigilância das fronteiras, que é de sua competência constitucional. Mas, sobretudo, com o cuidado com a condição do ser humano que habita nossa região, sujeita a uma série de problemas, sobretudo doenças infectocontagiosas ou problemas que dizem respeito a coisas circunstanciais, como as chamadas ondas migratórias, que vêm trazendo problemas graves”, afirmou Amazonino, ao destacar que a iniciativa do Exército fortalece a parceria dos países da tríplice fronteira.

 O Amazonlog17 ocorre até o próximo dia 13, com atividades em Tabatinga, município do Amazonas que faz fronteira com Letícia. O evento conta com a presença de militares da Colômbia, Peru e Estados Unidos da América (EUA), de observadores militares de nações amigas, forças policiais, órgãos e agências governamentais, e empresas brasileiras e estrangeiras. A ideia é desenvolver soluções logísticas entre as nações, assim como avaliar a interoperabilidade dos seus equipamentos, sistemas e procedimentos, em uma região fronteiriça, cercada de dificuldades específicas.

Amazonino elogiou o Amazonlog17 e disse que a inciativa beneficia os amazônidas.  “É um projeto que transcende a fronteira dos países, é extremamente humano. Quero deixar claro que o homem da Amazônia é um homem que a humanidade deve muito porque ele conservou essa região, viveu aqui enfrentando as intemperes, as terras falustras, as atividades peçonhentas, os mosquitos, os insetos, as diversidades inesperadas de uma natureza, ainda hoje, não decifrada. Esses verdadeiros heróis mantiveram a ocupação dessa região. Eles foram para o meu país, extremamente heroicos, pois o Brasil detém a maior parte da Amazônia”.

Para o governador, mesmo com as condições adversas da região, o projeto trará resultados para o povo amazonense. “Dezenas e dezenas de problemas vão surgir. Mas não tenho dúvida que com esse escopo, com vontade de agir, como já é tradição do nosso Exército na região, não tenho dúvida que lograremos êxito e ficaremos muitos felizes com os resultados. Quero externar a solidariedade, absoluta, e reconhecimento do povo do Amazonas”, disse em seu pronunciamento na abertura do Simpósio.

 O comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, declarou que por se tratar da importância da Amazônia para o país e para o mundo, é necessário um conjunto de atenção de todo a nação brasileira. “Defendê-la e garantir a nossa soberania, requer um esforço permanente. Ademais, as características de infraestrutura na região trazem ainda maior desafio para a logística militar terrestre. O Exército contempla, em seu planejamento estratégico, a implantação de um novo e efetivo sistema logístico militar, visando principalmente, adotar uma estrutura logística capaz de prestar apoio na medida certa e no tempo oportuno”, afirmou.

*Com informações da assessoria

Roberto Brasil