Na Aleam, seminário discute o atendimento às vitimas de pedofilia e de exploração sexual

By -
contra-a-violencia-criancasA atenção integral às crianças vítimas de violência sexual, é o tema do II Seminário Intersetorial de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes no Amazonas, que inicia hoje (23) e se estende até terça-feira (24), a partir das 8h, no auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa.

Promovido pela Frente Parlamentar de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes (Frenpac), presidida pelo deputado Luiz Castro (Rede), o seminário discutirá a responsabilidade dos Governos Municipal e Estadual e da sociedade civil, no atendimento às vítimas de crimes de pedofilia e de exploração sexual, que aumentam em Manaus e no interior do Estado.
De acordo com o deputado Luiz Castro, há muitas falhas na rede de atendimento à infância e à juventude. Segundo ele, as vítimas de violência sexual e suas famílias, sofrem o trauma e ainda tem que percorrer um longo e penoso caminho em busca de atendimento médico, psicológico e para denunciar o crime.
Na perspectiva de melhorar o tratamento de crianças e adolescentes, o seminário enfocará a Atenção, como um dos eixos do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual, visando garantir o atendimento especializado e, em rede, aos menores de idade vítimas de pedofilia e de exploração sexual.
Como sub eixo será discutido o Atendimento, previsto no ECA como politica que deve ser executada por um conjunto articulado de ações governamentais e não-governamentais, da União e dos Estados.
O seminário promoverá mesas redondas com especialistas em Direito, Saúde, Antropologia e Serviço Social. A programação inclui também oficinas e exposições de trabalhos, realizados por instituições de governos e da sociedade civil, em defesa dos direitos de crianças e adolescentes, no Estado do Amazonas.
Deverão participar do seminário, representantes do Ecpat-Brasil, Frenpac, Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, Conselhos Tutelares, Universidades, Cáritas Arquidiocesana de Manaus, os Movimentos Um Grito pela Vida, Tecendo Redes e Direitos Humanos, além de estudantes universitários.

Roberto Brasil