Na Aleam, Audiência Pública vai debater hoje o desmonte do SUS

By -
Dep. Sinésio Campos

Dep. Sinésio Campos

Instituições públicas e privadas, órgãos reguladores, conselhos, entidades de classe e movimentos sociais que atuam na área da Saúde, estarão reunidos, nesta sexta-feira (1º), às 10h, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), para debater com a sociedade civil a situação da saúde pública nacional no atual contexto político e os possíveis reflexos destas políticas públicas na rede de saúde local, durante Audiência Pública.

Segundo o coordenador nacional da Rede Unida, Júlio Schweickardt, a audiência pública soma esforços às ações em defesa do SUS no Amazonas, com o objetivo de esclarecer e debater com a sociedade quais as medidas que estão sendo tomadas em âmbito nacional e que podem implicar na fragilização do SUS. “A cada ação do Congresso vamos nos aproximando do desmonte do nosso Sistema Único de Saúde. Não podemos retroceder e permitir a fragilização do SUS, pois isso significaria dar um gigante passo atrás nas conquistas sociais. O SUS é saúde e saúde é democracia!”, disse o pesquisador.

Para o autor da audiência pública, deputado Sinésio Campos (PT-AM), o debate em torno do SUS é urgente e necessário, sobretudo em “solo amazônico”. A saúde indígena, de acordo com o parlamentar, pode sofrer uma grave interrupção na prestação de atendimento, visto que quase a totalidade dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) no Amazonas são cobertos por profissionais do Programa Mais Médicos e o governo interino já se manifestou contrário à continuação do programa. “Mesmo nos lugares mais distantes do Estado, como comunidades ribeirinhas, indígenas, hoje possuem médicos prestando atendimento de qualidade à população. Isso é mais que um avanço. É uma conquista social!”, enfatizou.

 

Roberto Brasil