Mutirão da Defensoria Pública atende presos em Iranduba

By -
80% dos casos atendidos foram por tráfico de drogas

80% dos casos atendidos foram por tráfico de drogas

Uma equipe o Grupo de Trabalho Permanente de Atendimento aos Presos do Sistema Carcerário (Gtap) da Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM) realizou ontem (7) a primeira atividade do cronograma de 2014 com visita ao 31º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e a 8ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), localizados no município de Iranduba, a 22km de Manaus. No DIP, dos 49 aprisionados nas duas celas da unidade, os defensores públicos atenderam 39 presos sem defesa constituída.

Entre os assistidos atendidos pelo Gtap, 80% dos casos foram por tráfico de drogas. O defensor público Leonardo Figlioulo explicou que parte dos presos alegou divergência quanto à acusação apresentada contra eles. “A partir desse levantamento presencial junto aos presos vamos realizar a análise processual de cada um deles e apresentar os pedidos cabíveis”, adiantou. Na 8ª CIPM, unidade destinada ao cárcere feminino, foram atendidas duas presas, também por tráfico de drogas.

Essa é a primeira atividade do grupo de trabalho da Defensoria Pública, que contou com a atuação dos defensores públicos Leonardo Figlioulo, Eduardo Ituassú, Flávia Lopes e Ulysses Tapajós, assessoria jurídica e estagiária, e foi acompanhado pela defensora pública da comarca de Iranduba, Larissa Vianez Figueira.

O Gtap existe desde 2009, é composto pelos defensores públicos que atuam na área criminal e realiza atendimentos periódicos aos presos da capital e do interior do Estado.

Redação