Mulher é presa após aplicar golpe de R$ 170 mil em empresa do Distrito

By -
Andreza Rodrigues vinha aplicando o golpe desde 2015

Andreza Rodrigues vinha aplicando o golpe desde 2015

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação do 25º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando do delegado titular da unidade policial, Cícero Túlio, cumpriu mandado de prisão em nome da assistente de Recursos Humanos (RH) Andreza Lima de Freitas Rodrigues, 36, denunciada por apropriação indébita qualificada e estelionato.

De acordo com a autoridade policial, a mulher foi presa em via pública, na Avenida Torquato Tapajós, bairro Tarumã, zona Oeste da cidade. Segundo o delegado, Andreza trabalhava em uma empresa de produtos eletrônicos localizada no bairro Distrito Industrial, zona Sul. Ela ocupava a função de assistente de Recursos Humanos e desde 2015 vinha aproveitando para emitir cartões de alimentação e auxílio-combustível em nome de ex-funcionários da firma, apropriando-se dos benefícios para obtenção de vantagem pessoal.

Segundo o delegado Cícero Túlio, ela foi indiciada por apropriação indébita qualificada e estelionato

Segundo o delegado Cícero Túlio, ela foi indiciada por apropriação indébita qualificada e estelionato

“Além da emissão desses cartões, a funcionária ainda confeccionava autorizações de compra de aparelhos celulares em nome da empresa em lojas do varejo local. Após a compra, ela se apropriava dos produtos para benefício e uso próprio. Diante dessas práticas ilícitas, estima-se que o prejuízo causado à empresa foi cerca de R$ 170 mil”, explicou o titular do 25º DIP.

Cícero Túlio representou a prisão preventiva em nome de Andreza após minuciosa investigação. O documento foi expedido no dia 17 de maio deste ano, pela juíza da 11ª Vara Criminal, Eulinete Melo Silva Tribuzy.

Andreza foi indiciada por apropriação indébita qualificada e estelionato. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial a infratora será encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Roberto Brasil