MP deflagra ‘Operação Timbó’ em Santa Isabel do Rio Negro e prende prefeito e secretários

By -
Mariolino Siqueira Oliveira

Mariolino Siqueira Oliveira

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Estado desencadeou na manhã desta terça-feira (10) com apoio das policiais Federal, Civil e Militar, a “Operação Timbó” em Santa Isabel do Rio Negro, cumpre quatro mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e 16 de busca e apreensão. Entre os presos está o prefeito Mariolino Siqueira Oliveira (PDT), o secretário de finanças Sebastião Ferreira de Moraes, o “Bazinho” e mais dois secretários, que não tiveram os nome revelados, e servidores da prefeitura, acusados de integrarem uma Organização Criminosa que teria desviado mais de R$ 10 milhões dos cofres públicos.

De acordo com o MP, a Orcrim teria desviado dos cofres públicos de Santa Isabel do Rio Negro, mais de R$ 10 milhões em saques efetuados na boca do caixa e transferências bancárias pessoais que eram movimentadas em sete contas da prefeitura, entre elas as folha de pagamento do município no período de 2013 a janeiro de 2016.

Além do prefeito foi preso o filho dele, Mariolino Júnior, em sua casa localizada no Parque das Laranjeiras, onde os policiais apreenderam cerca de R$ 250 mil em espécie. A esposa de Mariolino, Regina Flávia Dias Coimbra, e a nora Bruna Soraya da Silva Barbosa e mais os secretários da Finanças, Sebastião Ferreira de Morais, o de Obras, Carlos Augusto Araújo dos Santos e o de Administração, João Amorim Ribeiro júnior, além do taxista Raimundo Mendes Neto.

De acordo com o procurador-geral de Justiça do Amazonas, Fábio Monteiro, o prefeito usava dinheiro do município para gastos pessoais. “Ficou muito claro que não foi tentado esconder, não houve preocupação se os órgãos de controle tentariam rastrear essa verba. O dinheiro da prefeitura saía para essas pessoas. Depois, com os recursos, as pessoas aumentavam seu patrimônio e, em algumas situações, vendiam os imóveis para a prefeitura, que pagava até um valor acima do de mercado”, contou.

As investigações mostraram que o prefeito endossava cheques da prefeitura para fazer saques diretamente no caixa do banco. Foi desviado dinheiro do pagamento de servidores. Os salários costumavam atrasar, de acordo com o Ministério Público do Estado.

Dois prefeitos na administração

De acordo com nota do Ministério Público as investigações iniciaram em 2013 e foram até janeiro deste ano, e foi justamente nesse período que Santa Isabel do Rio Negro teve um entra e sai de prefeito. Em março do ano passado, o segundo colocado no pleito de 2012, Araildo do Nascimento (PTB), o “Careaca” assumiu no lugar de Mariolino Siqueira, cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, mas três meses depois conseguiu voltar ao cargo por decisão do TSE.

Em janeiro deste ano, Mariolino Siqueira, voltou a perder o mandato e Careca, voltou a assumir, mas depois de 30 dias a frente da prefeitura saiu mais uma vez por determinação do Tribunal Superior Eleitoral.

Fonte: Fato Amazônico

Mario Dantas