Movimento de mulheres realiza protesto contra PL que dificulta aborto em caso de estupro

By -
"O PL 5069 submete as mulheres violentadas sexualmente à uma humilhação", afirma Dora Brasil

“O PL 5069 submete as mulheres violentadas sexualmente à uma humilhação”, afirma Dora Brasil

Da Redação – O pátio da Delegacia da Mulher, localiza na avenida Mário Ypiranga, S/N, conjunto Eldorado, Parque 10, zona Centro-Sul, foi palco de uma mobilização promovida pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Amazonas (CEDIM-AM) e várias entidades de classe contra o projeto de Lei 5069, de autoria do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), que dificulta o aborto legal em caso de estupro.

movimento-mulheres-pl5069-blogdafloresta02Segundo Dora Brasil, presidente do Cedim-Am, o movimento visa sensibilizar a sociedade sobre a PL 5069 que representa uma ofensa aos direitos básicos de toda mulher e que foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal e deverá ir à votação. “O PL 5069 submete as mulheres violentadas sexualmente à uma humilhação que é primeiro ir para a delegacia comprovar a agressão para depois ter direito a pílula do dia seguinte ou, se necessário, o aborto”, afirmou.

movimento-mulheres-pl5069-blogdafloresta03Na oponião da dirigente da entidade, o Amazonas é um dos estados mais organizados em relação à rede de proteção às mulheres que se consolidou a partir da Lei Maria da Penha. Todavia, nosso estado figura entre os mais violentos, como informa o Mapa da Violência, sendo Barcelos a cidade brasileira mais violenta em termos de crimes praticados contra a mulher.

movimento-mulheres-pl5069-blogdafloresta-colagemO movimento saiu em passeata até à Assembleia Legislativa objetivando que os parlamentares amazonenses sensibilizem suas bancadas federais para dizerem “não” à PL, conforme vem acontecendo em todo o país. (Roberto Brasil – Fotos: Áida Fernandes)

Roberto Brasil