Mostra de Trabalhos Pedagógicos apresenta projetos de etnias indígenas

By -

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-1Conhecimentos e experiências entre etnias de comunidades  indígenas situadas nas zonas rural e urbana de Manaus foram compartilhados as durante a 8ª edição da Mostra Pedagógica dos Professores Indígenas da rede municipal de ensino. O evento começou na última quinta-feira, 29, e encerrou ontem (31), no Centro Cultural Tuxaua Valdomiro Cruz, localizado na comunidade Três Unidos, onde também está instalada a Escola Indígena Municipal  Kanata T-ykua. 

O evento foi promovido pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) e organizado pela Gerência de Educação Indígena (GEI) do órgão. Durante o evento, 17 projetos desenvolvidos nos 11 espaços culturais  e nas quatro escolas indígenas da rede municipal de ensino foram disseminados para um público composto por lideranças comunitárias e professores indígenas. 

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-2Segundo a chefe da Divisão de Ensino Fundamental (DEF) da Semed, Lucila Bonina, os projetostêm caráter pedagógico e são relevantes, porque retratam a identidade de cada etnia destacada. “Saber que estão em execução (os projetos) nos deixa muito feliz, porque  demonstra que estas culturas e particularidades estão sendo respeitadas, difundidas e, principalmente,  que os direitos de aprendizagem dos nossos alunos  indígenas estão sendo assegurados, da mesma forma que para os não indígenas, respeitando  a sua especificidade e abrangência  cultural”, destacou.  

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-8Os projetos foram pensados observando as necessidades das próprias etnias. Eles são definidos no início do ano e desenvolvidos durante todo o ano letivo de 2015. A ideia de cada iniciativa pedagógica é propor uma ferramenta de aprendizagem adaptada, respeitando os costumes, tradições, mitos e crenças, para enriquecer e revitalizar a cultura indígena. 

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-3O chefe da GEI da Semed, Rossini Maduru, explicou que o principal objetivo da  mostra é propor um momento de troca de experiências. Ele disse, ainda, que nestes oito anos de exposição detrabalhos já é possível perceber um reflexo positivo. “Já é possível constatar avanços na Educação Indígena. Hoje, por exemplo,  temos conquistas na prática pedagógica, justamente porque há esta troca de experiência, esta integração e partilha de conhecimento.  Outro marco é que os nossos alunos estão falando a sua língua materna de maneira mais intensa, coisa que antes não se via com a frequência de hoje. A cada ano surgem ideias mais ousadas, mais criativas e, acima de tudo, que vem ao encontro das perspectivas das necessidades dos nossos alunos”, afirmou Rossini. 

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-4Projetos – Os projetos foram apresentados por seus idealizadores e colaboradores. A cada exposição, os professores explicavam sobre os trabalhos desenvolvidos, destacando a fundamentação teórica, os objetivos gerais e específicos e, também, como usá-los de forma alternativa para ensinar a língua materna de cada etnia. As principais ideias de trabalho aliavam música, grafismo, contação de histórias indígenas e o letramento adaptado nas comunidades, onde há escolas e espaços culturais da Semed. Dentre as etnias participantes da mostra estava Karapana, Nyengatu, Kokama, Kambeba e Tikuna. 

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-6Um dos trabalhos destaques apresentados foi o do professor Omar Alípio. A exposição foi feita pela filha dele e auxiliar pedagógica, Jéssica Onia. A ideia do projeto é revitalizar a língua Xikari Apurinã, por meio de canções do seu idioma. Para isso, ela, juntamente com a assessora pedagógica da GEI da Semed, Giovana Ribeiro, elaboraram um livro e glossário, contendo seis músicas Apurinãs e mais duas infantis traduzidas do português para língua materna e vice-versa. 

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-5Além disso, no material pedagógico, há um alfabeto adaptado, figuras ilustrativas e desenhos, feitos por alunos atendidos pelo espaço cultural do Mauazinho, zona Leste de Manaus. Durante a explicação, Jéssica ressaltou como o projeto tem impactado na vida dos alunos do espaço cultural. “Com este trabalho lúdico, atrelando a música a textos atrativos, percebemos que os alunos desenvolveram mais a escrita e a compreensão da língua materna”. 

indigenas-mostra-trabalhos-pedagogicos-7Outro trabalho pedagógico de destaque apresentado na mostra foi o da professora voluntária indígena, Jeane Maria, que trabalha no Centro Cultural Nusuken, localizado no bairro Redenção, zona Centro-Oeste da cidade. O projeto desenvolvido pela docente busca retomar o interesse pela cultura Santeré- Mawe, estimulando a confecção e a importância do artesanato, dentro da etnia. 

De acordo com a educadora, o projeto trouxe uma mudança de hábito na comunidade. “Pensamos em desenvolver o projeto após termos verificar que alguns pais, da nossa comunidade, não estavam estimulando os seus filhos a confeccionar e  sentir gosto pelo nosso artesanato, que é algo muito forte em nossa cultura. Com  a implantação do projeto, percebemos que houve mudança de pensamento e, até de atitude”, observou.

Roberto Brasil