Morte de Melvino Júnior foi encomendada, revela polícia

By -

Investigações feitas pela Delegacia Especializada em Homicídios e (DEHS) apontaram que o homicídio do cantor de Axé, Melvino de Jesus Júnior, morto no dia 29 do mês passado, no município de Codajás (distante 297 quilômetros de Manaus) durante as comemorações da Festa do Açaí, foi encomendado.

De acordo com o secretário de segurança pública Sérgio Fontes, as investigações estão bem adiantadas e que os executores do crime,  já estão quase todos identificados restando apenas descobrir e identificar quem foi o mandante. “Logo vamos solucionar esse crime”, disse o secretário.

O secretário disse que ainda não pode adiantar mais informações porque as investigações estão acontecendo em segredo de Justiça. Sérgio Fontes disse que, embora já seja conhecida pela polícia, a motivação do crime ainda não pode ser revelada para não atrapalhar as investigações.

Durante as investigações, oitivas foram realizadas tanto em Manaus quanto em Codajás. Até ontem, tinham sido ouvidas testemunhas que estavam no local do crime, entre eles amigos do cantor, assim como familiares.  Inicialmente a primeira hipótese levantada para a motivação do crime é que seria passional. Essa hipótese não descartada e nem confirmada pela polícia.

Sérgio Fontes disse que no dia seguinte do crime uma equipe da DEHS foi encaminhada ao município de Coajás, onde foram colhidos os dados necessários para a elucidação do crime como  imagens de câmeras particulares, que foram analisadas e estão ajudando a Polícia  chegar aos autores do crime.

As imagens não seriam do momento que o ocorreu o crime, mas de câmeras de  segurança de uma loja que pode ter flagrado toda a ação do assassino em fuga e, dessa forma,  pode conter informações para a identificação dos autores. “Já estão mais menos identificados os matadores só precisamos avançar para identificar os mandantes”, adiantou o secretário. O titular da DEHS Juan Pablo descartou a participação de policiais militares no crime.

De acordo com o delegado, os policiais militares que estavam no local tentaram prender os autores do crime. Por isso foram vistos correndo com armas em punho na noite do assassinato.

Cantor foi morto logo após o show, na porta do hotel

Melvino de Jesus Júnior era líder do grupo Júnior e Banda. Ele estava em Codajás para um show na Festa do Açaí.Conforme relatos de policiais, ele estava chegando ao hotel quando foi baleado com pelo menos três tiros.

O cantor Júnior foi morto na porta do hotel em que estava hospedado, na noite de sábado depois que ele e a sua banda haviam acabado de se apresentar. O assassino se aproximou da vítima e efetou os tiros pelas costas dele. Júnior morreu na hora.

Júnior era um dos nomes mais conhecidos da música amazonense. Ex-aluno do Colégio Militar de Manaus, ele logo começou a fazer sucesso como cantor e integrou a banda Os Embaixadores, uma das mais antigas do Estado.Ao sair da banda, Júnior  montou seu próprio grupo e manteve seu sucesso interpretando canções de axé e swingueira. Ele era um verdadeiro showman e, por isso,  era sempre um dos nomes mais requisitados no período carnavalesco em Manaus.  Além de cantor, Júnior também exercia a profissão de dentista e era casado.

(DO PORTAL A CRÍTICA)

Roberto Brasil