Moradores do Viver Melhor 1 reclamam que tarifa de água aumentou quase 2.000%

By -

Os comunitários vão buscar manter o valor fixo por tempo indeterminado (Foto: Manoela Moura)

Mais de cem moradores do conjunto Viver Melhor 1 (antigo Cidadão Dez) reclamaram, na tarde desta sexta-feira (17), da cobrança de taxas ‘abusivas’ da Manaus Ambiental. A reunião aconteceu no auditório do Centro de Ensino de Tempo Integral (Ceti) Garcitylzo do Lago e Silva, situado na rua Hernandez, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus. Em alguns casos, o aumento chegou a mais de 2.000% nas contas.

As pessoas explicaram que havia um acordo na qual estabelecia uma taxa fixa no valor R$ 30 reais, que vigoraria por três meses, mas que não foi respeitado a partir de dezembro (último mês de vigor do acerto).

A garçonete Elke Campos, 35, que mora há três anos no conjunto, disse que a área tem muitos problemas a serem resolvidos, entretanto, no momento, a água tem sido a maior preocupação.

“Em novembro e dezembro veio normal. Já em janeiro e agora em fevereiro veio a ‘porrada’. De 30 veio mais de 500 na cobrança, não tem como a gente ter consumido tanta água. Aí se a gente não paga, vem aviso de corte, como vamos viver sem água?”, indagou.

Já a assistente social Darla Ferraz, 40, disse que a conta dela não chegou em sua residência, e teve que ir à uma lan house, onde descobriu que a cobrança do mês era mais de R$ 1.000.

“Eu achei um absurdo quando eu vi. A partir daí, a líder comunitária se movimentou para resolver isso. Não tem como esse valor todo ser cobrado, muitas pessoas estão desempregadas, não tem como pagar”, disse.

A presidente da associação dos moradores, Suzy Santos, informou que os comunitários vão buscar manter o valor fixo por tempo indeterminado, além de ingressarem com ações coletivas e individuais no Ministério Público Estadual (MPE/AM) e também na secretária executiva do Procon Amazonas.

“Hoje nós cobramos que a Manaus Ambiental não cobre essa taxa absurda, pois não temos piscina para ser usada cinco vezes ao mês. Essa quantidade de água é o equivalente ao que eles dizem que nós estamos gastando. Isso é mentira, não vamos aceitar que nenhum morador pague acima do acertado”, destacou.

Na ocasião, membros da Comissão de Água e Saneamento da Câmara Municipal de Manaus (Comasa/CMM) e também do Procon/Am estiveram presentes na reunião e tomaram conhecimento da situação. Eles também aproveitaram a ocasião para fornecer orientações aos moradores.

“Infelizmente hoje nós só escutamos coisas ruins, reclamação de má qualidade de serviço e cobrança abusiva. Aqui a Manaus Ambiental pode até faltar, mas será convocada na Câmara, e se não for, ela irá receber a sanção devida. Essa comissão vai ajudar a garantir que o fornecimento de água seja respeitado”, frisou o presidente da comissão, Davi Reis.

Já o assessor jurídico do Procon/Am, Fernando Motta, ressaltou que o órgão está à disposição da sociedade.

“A gente veio orientar o consumidor, ser mais uma ferramenta para ajudá-los a qualquer situação de prática abusiva. Fizemos a orientação básica e orientamos sobre o que tem que ser feito. Informamos nosso endereço e meios de comunicação para qualquer apoio. Nossa equipe está para analisar tudo isso, caso a caso”, frisou.

Até o momento desta publicação, a Manaus Ambiental ainda não tinha dado o retorno sobre o caso.

(Do Em Tempo)

Roberto Brasil