Moradores do bairro Zumbi demandam mais segurança e infraestrutura

By -

Os moradores do bairro Zumbi II da zona leste de Manaus demandaram mais segurança neste sábado (22) durante a ação social realizada pelos Amigos Solidários na Igreja de Deus Pentecostal do Brasil-Betasda na Rua Antenor Cavalcante s/n. Foram disponibilizados serviços de saúde e embelezamento.

A coordenadora dos Amigos Solidários, Rosa Nobre, agradeceu à equipe pelo trabalho em beneficio da comunidade.

O Pastor da Igreja de Deus Pentecostal, Netonio Moreira de Salles, afirmou que falta segurança no local. “Aqui do lado da igreja já assaltaram com metralhadora e aqui mesmo fomos assaltados três vezes. Levaram tudo: caixas de som e outras coisas. Por conta disso tivemos que terceirizar a contabilidade desta casa. Aqui próximo há um mato onde as pessoas são eliminadas e também há usuários de droga. Vivemos alarmados”, declarou.

O Pastor apontou os arrombamentos e assaltos a mão armada como os principais crimes. “O índice de criminalidade acontece principalmente pelo tráfico de drogas, as famílias desestruturadas e muitos jovens chegam à adolescência sem ter recebido uma orientação paterna e são induzidos a qualquer situação negativa. Temos que ensinar as crianças desde cedo os princípios, os valores porque do contrario teremos uma geração estragada”, destacou.

Nota zero em atenção à saúde

A moradora do bairro Zumbi II, Quênia Batista de Souza, disse que falta segurança, entre tantas outras coisas. “Parece que nos últimos tempos aumentaram os casos de assalto. É fácil ver todo dia jovens portando armas. Também não tem feira, nem quadras esportivas e muito menos áreas de lazer. A atenção à saúde é nota zero porque para conseguir uma ficha tem que esperar o dia todo e chegar de madrugada”, frisou.

Ruth Telles Monteiro, moradora há mais de vinte anos na localidade, disse que falta infraestrutura, tapa buracos e iluminação nas ruas. “A população precisa de mais ações sócias como esta. A Carreta da Mulher é difícil aparecer aqui, onde as pessoas precisam de atenção. Tem muita violência por conta dos assaltos e muitos estão preocupados pela falta de emprego”, finalizou. (Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil