Momentos de terror vivenciados no Centro de Parintins

By -
A rebelião teria começado por causa da retirada de uma TV da cela de um detentto

A rebelião teria começado por causa da retirada de uma TV da cela de um detento

Da Redação – Tarde de segunda-feira (1º), após briga e rebelião de presos na Penitenciária Pública. Um detento foi decapitado e teve a cabeça e mãos atirados no meio da rua na presença da imprensa. O nome da vítima fatal é Adimil de Souza, conhecido como Kuiu. A rebelião teve inicio após uma briga devido a retirada de uma televisão da cela de um dos detentos.

Às 15 horas houve explosões e muita gritaria. Alunos de três escolas ficaram “reféns” dentro das próprias salas de aula. Astridy Portilho, funcionária da escola de Áudio e Comunicação Padre Paulo, que fica próximo ao presídio, foi uma das primeiras a avisar a imprensa sobre o motim. “Todo mundo está em choque. Trancamos os alunos, serventes e professores com medo de alguém invadir às salas”, comentou Astridy.

A tropa de choque de Manaus foi enviada ao local para acalmar os ânimos e controlar a situação

A tropa de choque de Manaus foi enviada ao local para acalmar os ânimos e controlar a situação

O jornalista Ednilson Maciel disse estar perplexo com tamanha violência. Durante o motim, centenas de parentes dos detentos e pais dos alunos das escolas se aglomeraram na Praça da Liberdade, muitas em pânico e chorando em busca de informações.

A sessão da Câmara de Vereadores foi cancelada a pedido da Polícia Militar. A tropa de choque de Manaus desembarcou na Ilha Tupinambarana às 16h30 para ajudar a controlar a situação. O diálogo entre a polícia e detentos continua. É possível ouvir de fora do presídio vários gritos de mulheres que cumprem pena. Os rebeldes atearam fogo nos colchões das camas. (Hudson Lima – Fotos: Divulgação)

Roberto Brasil