Ministro do PMDB segue no cargo e diz que saída do partido foi precipitada

By -

eduardobraga

A reunião que definiu a saída do PMDB do governo, no último dia 29, foi precipitada e não deveria ter ocorrido naquela data, disse ontem (4) o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, que é filiado ao PMDB do Amazonase permanece no cargo, apesar da decisão do partido de entregar os cargos que ocupa na administração federal.

Após uma reunião de 40 minutos com o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, Braga disse que continuará trabalhando como ministro para “servir ao país”. “Fui um daqueles que, desde o início, falei que imaginava, acreditava e continuo acreditando que aquela reunião do dia 29 [de março, em que o PMDB confirmou a saída do governo] não deveria ter acontecido nesse dia. Que era uma precipitação, e continuo defendendo isso”, afirmou Braga.

Mario Dantas