Mesmo com Forças Armadas, Rocinha tem tiroteio na madrugada

By -

Exército ocupa comunidade da Rocinha para conter guerra entre traficantes, no Rio (Ricardo Moraes/Reuters)

Um novo tiroteio foi ouvido na madrugada deste sábado na comunidade da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. De acordo com a Assessoria de Comunicação Social do Estado-Maior Conjunto das Operações em Apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública, a troca de tiros entre policiais e criminosos aconteceu por volta das 4h30.

Conforme a Polícia Militar, o tiroteio se deu após homens armados dentro de um táxi tentarem romper o bloqueio do cerco estabelecido pelas Forças Armadas nas proximidades da Rua General Olímpio Mourão Filho. A Rocinha é alvo de operações diárias da PM desde o último domingo, quando houve confrontos entre grupos de traficantes rivais pelo controle de pontos de venda de droga da comunidade. Nesta sexta-feira, após intensos tiroteios, a comunidade recebeu reforço de homens do Exército e da Aeronáutica.

Na operação deste sábado, foram presos pela Polícia do Exército os cinco ocupantes do veículo, um Renault Symbol, e apreendidos um fuzil AK47 calibre 7,62mm com numeração raspada e quatro carregadores; uma pistola Glock calibre 9mm com dois carregadores; 86 munições calibre 7,62mm e 18 calibre 9mm; dois equipamentos de rádio transmissores; documentos; cadernos de anotações; além de pequena quantidade de drogas e dinheiro em espécie.

Os suspeitos e o material apreendido foram entregues à 11ª Delegacia de Polícia, na Rocinha.

Ocupação

O primeiro contingente de homens da Forças Armadas que fazem um cerco à Rocinha chegou às 16h10 dessa sexta-feira na comunidade. Cerca de 150 soldados do Exército e da Aeronáutica entraram na parte baixa da favela, junto ao túnel Zuzu Angel. Eles foram acompanhados por policiais militares e alguns grupos se espalharam pelas principais ruas da localidade, no interior da favela.

A missão principal das Forças Armadas é fazer um cerco à Rocinha para apoiar as operações das polícias civil e militar. Na manhã de ontem, houve um tiroteio intenso entre policiais e criminosos, que provocou o fechamento da Autoestrada Lagoa-Barra, que liga o bairro de São Conrado à Gávea. Cinco escolas e três unidades de educação infantil da prefeitura fecharam as portas, deixando quase 2.500 alunos sem aulas.

(com Agência Brasil)

Roberto Brasil