MARQUETEIRO DO DUDU ESTÁ “PORRAQUI” COM SEU CANDIDATO

By -

ademir-ramos_500x333
Depois de ter de engolir a seco o segundo turno, o Dudu arrogante, resolveu dar uma repaginada na mídia, trocando a inteligência de sua campanha a peso de ouro. O novo marqueteiro é o “Lulinha”, Flávio Lula Guimarães, que dirigiu a campanha vitoriosa do PSDB em São Paulo com foco de assaltar os corações e mentes dos amazonenses, intimidando a todos (as) a confirmarem o nome do Dudu nas urnas. Tratativa feita, o Lulinha conseguiu convencer o seu cliente a gravar o primeiro copião para rodar. Tudo certo, então se criou um cenário moralmente conservador, visando desconstruir a imagem que o povo tem do ex-governador quanto ao seu comportamento de capataz, qualificado pela arrogância, mandonismo, soberba, sendo afoito as obras faraônicas, centralizando tudo em si, criando dificuldade para vender facilidade a favor das corporações privadas, em detrimentos das políticas públicas.

O Lulinha teve um grande trabalho de criar um cenário de uma família ideal reunindo mulher e filhas num café matinal centrado no arquétipo da sagrada família com firme propósito de projetar uma imagem de pai presente e marido companheiro, Construído o contexto, o discurso do Dudu vasculha a memória lembrando-se de sua “mãe adotiva” que era analfabeta com um grande afeto por ele e foi a esta mulher, que ele enquanto governador implantou o projeto “reescrevendo o futuro” Nesta hora, lamenta a continuidade do projeto e tomado pela emoção simula a voz embargada e faz que chora, pegando o lenço sobre a mesa para enxugar as pontas de lágrimas.

Apaga-se as luzes e o Dudu sai balançando a cabeça duvidando do feito do Marqueteiro, que segue a risca as orientações de Maquiavel: “É necessário saber bem disfarçar sua natureza e ser grande simulador e dissimulador.” Em princípio tudo bem, contudo, na terça (14), em entrevista de 10 minutos na TV Amazonas, o Dudu arrogante quebrou o encanto e rasgou a máscara, contrariando as orientações do seu marqueteiro e deixou a natureza desembestar dando coice no apresentador. Um dos membros da equipe do marqueteiro chegou a dizer que ele não tem jeito porque “quem nasceu pra cavalo não vira cachorro de madame.”

No entanto, por uma questão contratual o Lulinha insiste em vender um Dudu “paz e amor”. Mas, não cola e o seu projeto de desconstrução vai para as cucuias porque o tempo é curto e a natureza do Dudu é imexível. ‪#‎Vazadudu‬ e leva Dilma contigo.

Mario Dantas