Marinha já apreendeu quatro embarcações irregulares na Operação Parintins 2017

By -

A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN), divulgou, neste sábado, 01 de julho, os números parciais de embarcações abordadas durante a Operação Parintins 2017. Desde o dia 26 de junho, a Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) realizou 415 abordagens, que resultaram em 56 notificações e 04 embarcações apreendidas.

Foram estruturados três postos fixos de fiscalização: um no Encontro das Águas dos Rios Negro e Solimões; e os outros dois nas Barreiras de Inspeção Naval em Itacoatiara e Parintins. Até o dia 30 de junho, 19.410 pessoas passaram pelo Posto de Fiscalização de Manaus.

A Operação tem o propósito de garantir a Segurança do Tráfego Aquaviário e a Salvaguarda da Vida Humana no período do Festival Folclórico de Parintins, que concentra o maior número de embarcações de passageiros e recreio no Rio Amazonas.

Entre as principais irregularidades detectadas nas abordagens, estavam documentos em desacordo com as Normas da Autoridade Marítima. Foram vistoriados itens de segurança como colete salva-vidas, boias, habilitação do comandante e do barco, além do excesso de passageiros.

Desde o dia 17 de abril, a CFAOC iniciou os preparativos da Operação com o recebimento das solicitações das Vistorias Especiais para a concessão do “PASSE”, para as embarcações que trafegam pelo trecho Manaus (AM) – Juruti (PA), no período do Festival Folclórico de Parintins.

Ao todo, a Capitania recebeu solicitação para a vistoria de 151 embarcações. Destas, 125 receberam o PASSE, documento que agiliza a fiscalização no momento em que a embarcação for abordada.
Nesta Operação, que se estende até o dia 03 de julho, a Marinha emprega cerca de 400 militares; o Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) Doutor Montenegro e dos Navios-Patrulha Fluvial (NplaFlu) Amapá, Rondônia e Raposo Tavares, subordinados ao Comando da Flotilha do Amazonas (ComFlotAm); duas aeronaves do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral; e 20 embarcações de Inspeção Naval da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) e das Agências Fluviais de Parintins e Itacoatiara.

Roberto Brasil