Marinha apresenta balanço final da Operação Parintins 2017

By -

Três postos de fiscalização de embarcações foram estruturados: no Encontro das Águas, em Manaus; em Itacoatiara e Parintins

A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN), divulga o balanço geral da Operação Parintins 2017. Desde o dia 26 de junho até o dia 05 de julho, a Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) realizou 597 abordagens, que resultaram em 57 notificações e 05 embarcações apreendidas.

Nesse período, a Marinha instaurou inquérito administrativo para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades de dois registros envolvendo embarcações. Um deles ocorrido, no dia 03, quando uma embarcação de transporte de passageiros ficou à deriva, nas proximidades do município de Urucurituba (AM), no Rio Amazonas, e outro de um naufrágio de uma embarcação de transporte de passageiros no Rio Paraná do Ramos, ocorrido no mesmo dia, nas proximidades do município de Barreirinha (AM). Ambos os fatos não ocasionaram vítimas fatais.

Foram estruturados três postos fixos de fiscalização: um no Encontro das Águas dos Rios Negro e Solimões; e os outros dois nas Barreiras de Inspeção Naval em Itacoatiara e Parintins. No total, 20.624 pessoas passaram pelo Posto de Fiscalização de Manaus.

A Operação teve o propósito de garantir a Segurança do Tráfego Aquaviário e a Salvaguarda da Vida Humana no período do Festival Folclórico de Parintins, que concentra o maior número de embarcações de passageiros e recreio no Rio Amazonas.

Entre as principais irregularidades detectadas nas abordagens estavam documentos em desacordo com as Normas da Autoridade Marítima. Foram vistoriados itens de segurança como colete salva-vidas, boias, habilitação do comandante e do barco, além do excesso de passageiros.

A CFAOC iniciou, no dia 17 de abril, os preparativos da Operação com o recebimento das solicitações das Vistorias Especiais para a concessão do “PASSE”, para as embarcações que trafegam pelo trecho Manaus (AM) – Juruti (PA), no período do Festival Folclórico de Parintins.

Ao todo, a Capitania recebeu solicitação para a vistoria de 151 embarcações. Destas, 125 receberam o PASSE, documento que agilizou a fiscalização nas abordagens das embarcações.
Nesta Operação, a Marinha empregou cerca de 400 militares; o Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) Doutor Montenegro e os Navios-Patrulha Fluvial (NPlaFlu) Amapá, Rondônia e Raposo Tavares, subordinados ao Comando da Flotilha do Amazonas (ComFlotAm); duas aeronaves do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral; e 20 embarcações de Inspeção Naval da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) e das Agências Fluviais de Parintins e de Itacoatiara.

Roberto Brasil