Marina Silva é acusada de plagiar proposta do PSDB

By -
Marina Silva

Marina Silva

O senador Aécio Neves (PSDB), que concorre à Presidência da República, disse nesta terça-feira que não tem dúvidas de que irá disputar o segundo turno das eleições. Acompanhado de lideranças tucanas, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC), Aécio convocou uma coletiva em que subiu o tom dos ataques às adversárias Dilma Rousseff e, principalmente, Marina Silva (PSB), que desde a morte de Eduardo Campos (PSB), em um acidente de avião, vem subindo nas pesquisas. O senador acusou a socialista de plagiar parte do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH), lançados por FHC em 2002. “O capítulo do programa de Marina é uma cópia exata do PNDH de FHC. Ela poderia ter pelo menos dado crédito aos autores verdadeiros da proposta e a FHC”, disse.

Aécio Neves ainda chamou Marina Silva de “metamorfose ambulante”, por ela ter recuado de políticas para o público LGBT anunciadas inicialmente em seu programa de governo. “De um lado, temos um governo que reage aos índices de pesquisa, alterando suas convicções com certo desespero, o que não é bom. De outro, o que vejo é uma candidatura que mais se assemelha a uma metamorfose ambulante, que altera suas convicções ao sabor das circunstâncias.”

O tucano ainda afirmou que a pessebista é cheia de contradições e listou alguns pontos em que ela apresentou, segundo ele, posições contraditórias. “Em quais Marinas o eleitor pretende votar, a que ataca ou a que foi do PT? A que defende os pilares macroeconômicos ou a que votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no Congresso Nacional quando era do PT? É a Marina que se calou no escândalo do mensalão e continuou no governo petista?”, falou.

Além de Marina, Aécio voltou a criticar a adversária do PT, presidente Dilma Rousseff, dizendo, mais uma vez, que sua candidatura fracassou e que está convencido de que Dilma vai perder essas eleições. E justificou que isso vai ocorrer porque “o governo do PT vai entregar o país em condições piores, com inflação e juros em alta, recessão e crise de confiança”.

Mario Dantas