Marcos Rotta presidirá CPI do BNDES na Câmara

By -
Dep. Marcos Rotta

Dep. Marcos Rotta

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), na Câmara dos Deputados, anunciou o nome do deputado federal Marcos Rotta (PMDB/AM), para presidir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará supostas irregularidades de empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ocorridas entre 2003 e 2015, concedidos a países como Venezuela, Angola e Cuba.

Estreante na Câmara federal, o deputado amazonense, que também é Vice-líder do PMDB, afirma ter recebido uma missão do seu partido para presidir uma das mais importantes CPIs da Câmara dos Deputados. “Espero poder contribuir para que a CPI possa investigar fatos que são em boa parte públicos, além de outros que virão à tona no processo e decurso da investigação, pois são denúncias sérias e graves”, destacou.

Segundo o líder do PMDB, na Câmara, Leonardo Picciani (PMDB/RJ), a indicação de Rotta é motivada pela sua atuação parlamentar no primeiro semestre desta Legislatura.

“Desde o primeiro momento a bancada tem percebido um posicionamento traquilo, sereno e responsável por parte do deputado Marcos Rotta na abordagem de diversos assuntos. Além disso, ele preenche todos os requisitos para representar não só o PMDB, nessa CPI, mas também toda a sociedade brasileira”, pontuou.

Marcos Rotta frisou que exercerá a posição de magistrado, fazendo com que a CPI possa avançar, mas procurando sempre manter o equilíbrio e acima de tudo não oferecer nenhum tipo de condição para que a CPI seja transformada em palco político.

“Essa CPI não é do PMDB, não é da situação, nem da oposição, é uma CPI que tem o objetivo de investigar recursos oriundos do BNDES, principalmente os que foram remetidos com pouca transparência ao exterior. Vou me posicionar com imparcialidade e prudência encontrando mecanismos para que a CPI cumpra com o seu papel de contribuir com as respostas que a sociedade brasileira espera. Da minha parte não haverá nem proteção e nem perseguição a quem quer que seja”, salientou.

A criação da CPI foi autorizada pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). A instalação da Comissão está marcada para hoje, quinta-feira, ás 09h30min, e será composta por 27 parlamentares como membros efetivos e 27 suplentes.

Roberto Brasil