Marcos Rotta pede que proposta de revogação do Estatuto do Desarmamento seja debatida com o povo do Amazonas

By -
Meu papel será ajudar a promover o equilíbrio, destacou Rotta

Meu papel será ajudar a promover o equilíbrio, destacou Rotta

Membro titular da comissão especial que irá emitir parecer sobre o Projeto de Lei 3722/2012, que revoga o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/2003) e disciplina normas sobre aquisição, posse, porte e circulação de armas de fogo, o vice-líder da bancada do PMDB na Câmara, deputado federal Marcos Rotta (AM), propôs, nesta quarta-feira (15), que a comissão a realize uma audiência pública em Manaus, para que os amazonenses participem do debate.

O apelo de Rotta foi feito durante a primeira reunião da comissão especial, reinstalada pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Na ocasião, foram eleitos o presidente, o deputado Marcos Montes (PSD-MG), e os vice-presidentes, os deputados Claudio Cajado (DEM-BA) e Guilherme Mussi (PP-SP).

O parlamentar destacou que nos últimos três anos, a Câmara tem avançado nos debates com a sociedade, mas pediu que o Amazonas participe das discussões e propôs a realização de uma audiência pública, para que o povo amazonense aponte se quer ou não revogar o Estatuto do Desarmamento. “Quero ratificar o interesse do Amazonas em participar destas reuniões e garanto disponibilizar a Assembleia Legislativa do Estado para ser palco desse debate importante”, disse.

Rotta afirmou que não quer opinar sobre o assunto antes de ouvir a sociedade e destacou que todos devem participar do debate, pois a revogação do Estatuto do Desarmamento é um tema que afeta a segurança dos brasileiros.

“As entidades de classe, organizações e demais grupos, de todos os estados, inclusive do Amazonas, devem, participar dessa discussão. Meu papel será ajudar a promover o equilíbrio e chegarmos a um denominador comum, sem que a população saia prejudicada”, afirmou.

Roberto Brasil